Gilberto Gil e Jimmy Cliff: juntos na Fonte Nova em 1980

clarissa pacheco
07.06.2020, 05:00:00

Gilberto Gil e Jimmy Cliff: juntos na Fonte Nova em 1980

Baiano abriu todos os shows daquela turnê de Cliff

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Fonte Nova, que já foi palco de quase tudo - sem exageros, passando por futebol a missa, shows e até canonização - e agora é hospital de campanha para tratar pacientes com a covid-19, também teve seus dias de glória para os fãs da reggae music. Foi uma noite memorável: era 1980, há 40 anos, quando o baiano Gilberto Gil começou os trabalhos.

Na verdade, Gil abriu todos os shows do jamaicano Jimmy Cliff naquela turnê de 1980 e logo em Salvador não seria diferente. O estádio lotou para o encontro de Gil e Cliff, que também aconteceu em Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O palco ficava voltado para o gol e quando Bahia e Jamaica se encontraram no palco, o público foi à loucura.

Gil e Jimmy Cliff em show na Fonte Nova
(Foto: Arquivo CORREIO)

Faltou até ônibus para levar o povo de volta para casa de madrugada - teve quem voltasse a pé. Aquela não foi a última vez de Jimmy Cliff na Bahia, nem na Fonte Nova. Em 1990, voltou a Salvador para o Festival de Música e Arte Olodum (Femadum). Depois, voltou em 1991, vestiu abadá de bloco, curtiu Carnaval e até vestiu a camisa do Bahia, como contou Ivan Dias Marques aqui. Na verdade, ele foi à Fonte Nova e assistiu a duas partidas - uma do Bahia e outra do Vitória.

Em 1992, em mais um encontro com o Olodum, nasceu Samba Reggae. O jamaicano praticamente virou baiano.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas