Greve nas universidades: governador Rui Costa se reúne segunda (8) com reitores

bahia
06.04.2019, 15:32:43
Atualizado: 06.04.2019, 15:45:04

Greve nas universidades: governador Rui Costa se reúne segunda (8) com reitores

Rui afirmou que vai tratar da questão orçamentária com gestores da Uesb, Uefs e Uneb

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), se reúne na próxima segunda-feira (8), na sede da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), com os reitores das três universidades estaduais em greve no estado. O encontro com os gestores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e Universidade do Estado da Bahia (Uneb) vai acontecer durante à tarde para tratar da questão orçamentária. O reitor da Uneb confirmou presença na reunião.

"Eu já marquei segunda-feira à tarde uma reunião com os reitores pra alinhar a questão do orçamento e execução orçamentária. Eu vou continuar o meu jeito de governar com seriedade, com responsabilidade, esse é o meu jeito de ser e eu não vou mudar", disse Rui, na manhã deste sábado (6), durante a entrega do novo trecho da Avenida 29 de março, que liga a BR-324 à orla, na altura de Piatã.

Desde a última quinta-feira (4), as três universidades aprovaram greve por tempo indeterminado. A partir de terça-feira (9), mais de 40 mil alunos das três instituições ficarão sem aulas. Os estudantes, no entanto, apoiam a decisão dos professores.

A deflagração da greve, segundo os docentes, é resultado da falta de negociação por parte do governo do estado, que em nota se disse surpreso com o anúncio. Os docentes alegam desrespeito aos direitos trabalhistas, como a não promoção, progressão e alteração de regime de trabalho de docentes, que, nos últimos anos, conseguiram elevar de grau no que se refere aos títulos acadêmicos.

Professores votam pela greve na Uesb
(Foto: Divulgação)

Eles se queixam de há seis anos não terem aumento de salário acima da inflação, o que, segundo eles, só ocorreu em 2013, quando houve reajuste de 7% no salário base – na docência, o menor valor é de R$ 1.727,54, de professor auxiliar 20h – início de carreira.

Eles querem a recomposição de valores decorrentes das perdas com a inflação, ocorrida a última vez em 2015. Os professores afirmam que, “há quatro anos sem a recomposição, os salários já sofreram perdas que superam 25%”.

Também neste sábado, o governador afirmou que vai agir com "responsabilidade" em relação aos gastos. "Não vou permitir, em hipótese nenhuma, que a Bahia, por mais pobre que seja em arrecadação, fique igual ao Rio de Janeiro, que arrecada o dobro da Bahia, fique igual a Santa Catarina, que arrecada quase o dobro da Bahia, fique igual a Minas Gerais, que arrecada mais do dobro da Bahia. Nós somos pobres em arrecadação, mas somos organizados, somos sérios e responsáveis e vamos continuar sendo", declarou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas