Grupo de mulheres organiza batalha de poesia no Instagram

salvador
04.06.2020, 10:00:00
Atualizado: 04.06.2020, 15:14:52
Slam é exclusivo para mulheres e pessoas LGBTQIA+ (Foto: Tamires Almeida/Divulgação)

Grupo de mulheres organiza batalha de poesia no Instagram

'Slam Pandemia Poética' também vai levantar fundos para 10 mulheres que tocam projetos culturais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Batalha de poesia no Instagram. É isso mesmo. No meio das super lives que movimentam as casas e copos durante a pandemia do coronavírus, o Selo Nsabas vai organizar uma batalha de poesias exclusivo para mulheres. Com as medidas de isolamento social, a alternativa encontrada foi de fazer essas batalhas pelo Instagram e, desta maneira, levar a emoção da poesia falada para a internet.

O processo de inscrição abriu nesta quinta-feira (4) e vão até a próxima segunda (8). As interessadas precisam enviar 4 vídeos de poesias autorais de até 3 minutos que serão divulgados no IGTV do Selo Nsabas durante cada fase do torneio. As doze poetas serão escolhidas para disputar as batalhas online serão anunciadas no dia 14 de junho.

As classificadas passarão pelo crivo do público e das juradas que têm 24h para escolher quem fica e quem sai da competição. As três finalistas serão premiadas com quantias em dinheiro que vão de R$200 a R$500. A vencedora ainda leva um curso de educação financeira.

A curadoria será realizada em parceria com o Slam das Minas BA, que compõe o Júri técnico ao lado das Slammers, nome em inglês que se refere às poetas de batalha, Briela G (PE) e Bixarte (PB).

O poder de popularizar a cultura e trazer à tona contradições sociais de forma poética conquistou um público consumidor e produtor de Slams (batalhas de poesia) no Brasil. Diante da necessidade de isolamento social o Slam Pandemia Poética é uma estratégia para combater alguns dos efeitos da proliferação do Covid-19 e garantir a continuidade e fomento desse segmento.

“A poesia é um vetor de encantar e fazer refletir, e o momento demanda ações inovadoras e responsáveis. Por isso, não só trazemos o Slam Pandemia Poética para o ambiente virtual, como buscamos formas de garantir a geração de renda para poetas e produtoras”, explica a produtora e Mestre de Cerimônia, Karen Oliveira.

O cronograma do Slam Pandemia Poética ainda conta com uma parte solidária e pretende levantar cerca de R$8 mil para oferecer auxílios a movimentadoras culturais da Bahia. Para ajudar a levantar esse fundo, a organização do evento fez o que as poetas fazem nos buzus de Salvador: passaram o chapéu. Só que virtual: os interessandos em contribuir de forma voluntária podem clicar neste link e fazer a doação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas