Guia do emprego em Salvador: veja onde achar vaga e como se candidatar

salvador
07.03.2018, 05:00:00
Atualizado: 07.03.2018, 14:46:30

Guia do emprego em Salvador: veja onde achar vaga e como se candidatar

Empreiteiras e serviços de intermediação são opções mais viáveis

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Arquivo CORREIO

Vigilantes, serventes de obras, auxiliares de escritório, carregadores e faxineiros foram as categorias que lideraram a geração de emprego no primeiro mês de 2018 em Salvador. Juntas, as cinco ocupações somam 3.615 postos de trabalho criados na capital, que é a líder em geração de empregos formais no Norte e Nordeste, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

A expectativa é que a capital baiana crie ainda mais postos de trabalho durante todo o ano de 2018: só pela prefeitura, a expectativa é de geração de 20 mil empregos até o final do ano, com a implantação do BRT, a construção do Centro de Convenções, do Hub de Tecnologia e do Hospital Municipal, além de investimentos em outras áreas, como o surgimento de novos supermercados atacadistas e a injeção na área de call center.

Desse total, as áreas que devem receber mais investimentos, de acordo com a Secretaria municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur), são as de construção civil, serviço e comércio, através do eixo de Investimento e Negócios do programa de desenvolvimento Salvador 360.

Salvador fechou 2017 com 258 mil desocupados – sem contar os trabalhadores que têm cargos informais – de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No SineBahia, foram 38 mil trabalhadores inseridos no mercado de trabalho no ano passado. A expectativa é de que, em cenário ideal, a geração de emprego pelo SineBahia aumente em até 10%.

Em janeiro deste ano, o crescimento geral do mês fechou em 3.950 trabalhadores com carteira assinada, número 64,1% maior do que o registrado no mesmo período de 2017. Em janeiro, as categorias de construção civil e operador de telemarketing tiveram um aumento de 445% e 30%, respectivamente, em comparação com o mesmo período de 2017.

"A característica vocacional de Salvador está centralizada em comércio e serviços. Esses são os setores que mais empregam na cidade através do SineBahia. No último resultado, vimos um saldo positivo no setor de construção civil. Isso é uma demonstração tímida de retomada do crescimento econômico", explicou o coordenador geral do SineBahia, Hildásio Pitanga.

"A construção civil é um setor primário, por isso, quando há uma reação e perspectiva de melhoria no campo do trabalho, ele é logo reativo e trabalha com um sinalizador”, continuou. 

Assim como o SineBahia, o Serviço Municipal de Intermediação de Mão de Obra (Simm) também intermedia mão-de-obra de forma gratuita. Ele é subordinado à Secretaria Municipal de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel). O Simm oferece serviço de recrutamento, seleção e orientação aos empresários que oferecem as vagas. “Possuímos uma equipe de psicólogos especializados, objetivando realizar uma pré-seleção mais condizente com os pré-requisitos fornecidos pela empresa”, disse. [Entenda o funcionamento do SineBahia e do Simm abaixo].

Construção civil
Nos últimos 14 meses, 9 foram de números negativos de contratação no setor de construção civil e 4 positivos. Por conta desses resultados, o presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon), Carlos Henrique Passos, explica que comemora o crescimento, mas com cautela.

“O que nós podemos ter é um ambiente de recuperação. Temos um dado positivo, mas ele precisa se confirmar através de outros meses, para não mostrar que foi uma coisa sazonal. Pode ter sido, por exemplo, uma obra que contratou, mas que vai demitir em seguida”, comentou Passos. Já são quatro anos de queda de emprego na área de construção civil por conta da recessão na economia. 

“Existem 1.486 obras funcionando em janeiro deste ano, com a contratação de funcionários. Cada obra dessas tem um momento diferente. Algumas estão começando, outras terminando ou no meio. Então, sempre que a gente tiver uma obra começando, iremos criar mais postos de trabalho, e quando elas terminarem, demitir. A análise de apenas um mês pode não ser uma descrição fiel da situação do setor”, explicou Passos.

Foto: EBC/Divulgação

Obra à vista
Para os próximos meses, no entanto, quatro alvarás foram liberados pela Sedur para as construtoras MRV e Tenda, que irão implantar empreendimentos imobiliários nas proximidades da Avenida Paralela e gerar 6 mil novos postos de trabalho, com mais de R$ 1,2 bilhão de investimentos.

O presidente da Sinduscon explica que, além das obras da prefeitura e do estado, como metrô, BRT e outros, a construção imobiliária é o que mais move o setor de construção civil de Salvador.

Leia também: Cresce número de postos de trabalho para mulheres em Salvador e RMS

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e da Madeira (Sintracom) explica que os interessados nas vagas de construção civil devem procurar através do SineBahia ou Simm, mas que as vagas podem ser conseguidas direto nos canteiros de obras. A MRV e a Tenda possuem locais de recolhimento de currículo.

Na Tenda, os currículos são recebidos através do e-mail gentetendaba@tenda.com e de sites de recrutamento como Catho, Vagas.com e Infojobs. A construtora costuma receber 500 currículos por vaga. Em 2017, foram 10 vagas abertas por mês. A inscrição ficará ainda mais fácil: a Tenda está iniciando uma parceria com o SineBahia para divulgação de vagas como ajudantes e operadores de obra. A área de operações (obras) é a que mais gera postos de trabalho na capital.

Já na MRV, os interessados podem entregar currículos impressos no Edifício Wall Street, na Paralela. Também há como opção o site da empresa (clique aqui para acessar) ou plataformas como Vagas.com, Catho e InfoJobs. A MRV já possui parceria com o SineBahia. As áreas de comercial e produção são as que mais têm vagas.

“Sempre realizamos o processo seletivo da mesma forma. Divulgamos a oportunidade, triamos os currículos e convocamos os candidatos que possuem o perfil que estamos buscando”, explicou Lívia Rey, analista de Recursos Humanos da MRV.

Call Center
Na área de telecomunicações, a criação de 3,5 mil empregos formais já foi iniciada, com a instalação da sede da telecobrança do Banco do Brasil no Cabula. O recrutamento para selecionar esses trabalhadores já foi iniciado pelo Simm. Além disso, um Polo de Formação de Mão de Obra para Profissionais de Call Center também será implantado na cidade. O local, gerido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), terá capacidade para formar até 2 mil trabalhadores por ano e contará com o apoio da Prefeitura.

Nessas áreas, as empresas oferecem seus próprios sites ou e-mails para cadastro de currículos. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações da Bahia (Sinttel Bahia), as grandes empresas em atuação aqui na Bahia são Liq (antiga Contax), Atento Brasil, Tel Centro de Contatos (antiga Tel Telemática) e BS Service, que atende ao serviço do Banco do Brasil.

Na Bahia, são mais de 20 mil trabalhadores em call center, que é caracterizado por uma grande rotatividade e composto, em sua maioria, por mulheres, jovens, entre 18 e 30 anos.

Esse é o caso de Elisabete Araújo, 19 anos, que trabalha na área há 1 ano e 4 meses. Esse foi o primeiro emprego de Elisabete, que conseguiu entrar na faculdade após começar a trabalhar com o telemarketing. Ela conta que foi ao SineBahia procurar emprego, fez a seleção e passou.

“É o meu primeiro emprego. A minha meta era conseguir um emprego para pagar a faculdade. Eu curso Farmácia, estou no segundo semestre, e tenho os financiamentos Fies e Prouni”, contou ela.

Para Elisabete, a conquista do emprego impulsionou seu crescimento pessoal. “Hoje eu consigo estudar e trabalhar. Moro sozinha e não tinha condições de bancar a faculdade sem emprego”, comemora. 

Elisabete, 19 anos, conseguiu emprego de operadora de telemarketing (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

O telemarketing seria apenas a primeira experiência para Itana Souza, 23, mas acabou se tornando o emprego principal. “Ele me dá estabilidade e possibilidade de crescimento, com descontos com faculdade. Irei fazer o vestibular e consigo manter o meu filho pequeno, que nasceu quando eu estava no call center”, explica Itana.

Antes de ingressar no setor, Itana estava há 6 meses desempregada, recebendo o seguro-desemprego. “Eu me inscrevi no site faltando um mês para acabar o meu seguro. No mês seguinte recebi uma ligação para fazer entrevista. Passei na primeira etapa, levei os documentos e fiz o treinamento”, explicou.

Além das vagas disponibilizadas no SineBahia e no Simm, os interessados na área de telemarketing podem encontrar vagas através dos sites das empresas. Confira algumas:

LIQ: Clique aquiTEL: Clique aquiBS SERVICES: Clique aqui ou envie e-mail para recrutamentoba@bsservices.com.br.

Shoppings
Para aqueles que buscam postos de trabalhos nos grandes shoppings de Salvador, o CORREIO separou locais em que os currículos podem ser deixados. 

Foto: Marina Silva/Arquivo CORREIO

No Shopping Piedade, os interessados podem colocar os currículos na Associação de Lojistas do Shopping Piedade (Alospi), localizada no piso L4. As vagas mais procuradas são de vendedores. Em média, 50 currículos por semana são entregues no local. Após selecionada, a pessoa recebe treinamento gratuito de vendas.

O Shopping Cajazeiras possui uma plataforma online para receber currículos. Funcionando há dois meses (clique aqui para acessar), o centro de compras não recebe currículos para os lojistas, apenas para serviços do próprio shopping. Os cargos que possuem mais vagas são os das áreas administrativas e operacionais.

No Shopping Outlet Premium, todos os currículos devem ser enviados para rh.ssa@outletpremium.com.br. Os e-mails serão respondidos por uma equipe, que irá direcionar o candidato para possíveis vagas na administração e lojas do empreendimento. 

O Shopping Itaigara possui uma central para recebimento de currículos. A Associação dos Lojistas do Shopping Itaigara (ALSI), localizada na garagem G1 do shopping, recebe currículos durante todo o ano. As vagas que são mais oferecidas são de vendedor, caixa e estoquista.

O Shopping Barra recruta os currículos através do setor de RH do shopping. Nas lojas, os currículos podem ser entregues na Associação de Lojistas do Shopping Barra (ALSB) pessoalmente.

“Algumas pessoas preferem entregar diretamente nas lojas, de acordo com a sua área de interesse. Mas aqui também buscamos colher essa informação e distinguir o cargo pretendido, para melhor direcionar os currículos recebidos”, afirma o presidente da ALSB, Luis Alberto Góes.

A associação recebe, em média, 30 currículos por mês. No momento, não há vagas disponíveis.

O Salvador Shopping recebe currículo exclusivamente de forma online, através do site do shopping, na seção Contato/Trabalhe Conosco. De novembro de 2017 a fevereiro de 2018, foram registrados 1.182 cadastros. Para o setor do shopping, as vagas mais disponibilizadas são nas áreas de administração, segurança, manutenção e limpeza. Caso a pessoa esteja interessada nas vagas em lojas, a seleção é realizada através da Associação de Lojistas, que recebe currículos de forma independente através do e-mail alss@salvadorshopping.com.br.

O Salvador Norte Shopping também faz seleção através do site, tanto para a própria administração, quanto para as lojas. Para se candidatar, a pessoa deve preencher um formulário. Os lojistas e o setor de RH do centro de compras têm acesso ao currículo e fazem contato direto com os candidatos. Desde novembro, o banco de talentos possui 1.223 currículos cadastrados, sendo 623 para lojas, tendo a maioria de interessados na vaga de vendedor (331). Já a administração do shopping recebeu 600 currículos. O destaque é a área administrativa, que registra 275 profissionais. 

***

Mais informações sobre como usar o SineBahia e o Simm

Foto: Reprodução/Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO

Como utilizar o SineBahia
O SineBahia utiliza o Sistema Público de Emprego na intermediação de mão de obra. Os interessados devem buscar uma das unidades, com o carteira de trabalho e os comprovantes de residência e escolaridade, para fazer a inscrição e a consulta de vagas no perfil desejado.
 
A lista com endereço e horário de funcionamento das unidades, em todo o estado, pode ser encontrada no site (clique aqui).

Os candidatos devem fazer consultas periódicas para checar a disponibilidade de vaga nesses locais. É importante ficar ligado já que algumas vagas são divulgadas, diariamente, na página do Facebook. 

As unidades do SineBahia oferecem profissionais para consulta de vagas, de acordo com cada município. Pela internet, o usuário poderá acessar o portal empregabrasil.mte.gov.br (aom senha solicitada em qualquer unidade, após o cadastro de um endereço de e-mail válido) ou, através do aplicativo SineFácil (após, a validação do QRCode oferecido em um qualquer unidade do estado). 

Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO

Como utilizar o Simm
Ao chegar na unidade, no Comércio, o trabalhador conta com uma equipe para atendê-lo. No local, ele recebe uma senha, que é distribuída com horário específico para cada posto. No primeiro atendimento, é montado o currículo e o trabalhador será orientado a acompanhar periodicamente, pela mídia e redes sociais, as vagas disponibilizadas pelo Simm, retornando quando seu perfil profissional atender aos requisitos da vaga.

Existindo vaga, o trabalhador é encaminhado para participar de processos seletivos nas empresas, diretamente pelo Setor de Atendimento ou após avaliação do Serviço de Psicologia.

O Simm não trabalha com cadastro de currículos. Os interessados em uma vaga de emprego deverão ir ao posto levando originais da carteira de trabalho, carteira de identidade, CPF, comprovantes de residência e histórico escolar, além do número do PIS, Pasep ou NIS.


Salvador 360 movimenta a economia
O Salvador 360 é um conjunto de ações para fomentar a economia da capital baiana, fazendo com que ela saia da crise antes que o Brasil, e consequentemente gere emprego e renda. O programa é dividido em sete eixos: Investe, Simplifica, Cidade Sustentável, Inclusão Econômica, Cidade Criativa, Cidade Inteligente e Centro Histórico. 

O eixo Simplifica visa reduzir a burocracia nos serviços da Prefeitura, reestruturando desde o modelo de licenciamento de obras ao de abertura de empresas. Com o programa, será possível abrir uma empresa dentro de casa e ter acesso a todos os serviços da Sedur pela internet, por exemplo. 

O Inclusão Econômica tem dois motes principais: a capacitação e o acesso ao crédito, por parte dos empreendedores informais; e a ampliação da regularização fundiária e das atividades econômicas na cidade. Já o eixo Cidade Criativa busca estimular, as atividades ligada às artes e às mais diversas áreas da criatividade em Salvador. 

O Cidade Sustentável trata de ações voltadas ao desenvolvimento sustentável da capital, o Negócios visa a implantação de novos negócios de Salvador, o Cidade Inteligente visa incentivar e apoiar atividades na área da tecnologia, com a criação de um hub de tecnologia, no Comércio e o Salvador Investe busca aumentar os investimentos em infraestrutura urbana e serviços públicos.  O eixo Centro Histórico trata de ações no bairros do centro antigo, desde intervenções públicas a concessão de incentivos para a área. 

Ao todo, 360 ações compõem o programa e elas devem estar implantadas até o final de 2020. 


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas