Hospital de campanha do Itaigara começa a receber pacientes nesta terça

coronavírus
05.05.2020, 15:51:00
Atualizado: 05.05.2020, 16:18:41

Hospital de campanha do Itaigara começa a receber pacientes nesta terça

Unidade vai oferecer 47 leitos de UTI para a rede pública

Os primeiros pacientes que serão internados no Hospital de Campanha Itaigara Memorial serão transferidos ainda nesta terça-feira (5), ao menos essa é a estimativa da prefeitura. O local foi inaugurado pela manhã e vai receber pessoas infectadas pelo novo coronavírus que serão transferidas através da regulação. São 47 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que vão atender os casos mais graves da doença.

O prefeito ACM Neto disse que o novo hospital terá 336 profissionais de saúde, são cinco médicos intensivistas plantonistas, cinco médicos intensivistas diaristas, um infectologista, um pneumologista, 28 fisioterapeutas, 28 enfermeiros com especialidade em trabalho de UTI, quatro bioquímicos, quatro farmacêuticos, seis assistentes sociais, 135 técnicos de enfermagem, e quatro de laboratórios, além do pessoal da administração e logística.  Ele contou que o hospital está pronto para ser usado.

“A partir desta tarde essa unidade vai passar a receber pacientes. Ela será dedicada exclusivamente para o atendimento de pacientes em situação de gravidade acometidos pelo novo coronavírus. Aqui vão funcionar 47 leitos de UTI. Leitos que serão compostos por respiradores, bombas de infusão, monitores multiparametricos, eletrocardiográficos, além de aparelhos de radiologia clínica, e de toda a rede de gases medicinais. São leitos completos e os aparelhos já estão na unidade”, afirmou.

Hospital vai receber pacientes através da regulação (Foto: Max Haack/ Secom)

A partir deste terça-feira 17 leitos que ficam nos primeiros andares entram em operação, e na segunda-feira (11) o andar superior será liberado com as outras 30 acomodações. ACM Neto disse que o prédio não foi construído para ter UTIs e que, por isso, o município precisou fazer adaptações na estrutura. O investimento total para a operacionalização do hospital de campanha foi de R$ 18,8 milhões.

Na próxima semana será a vez do Hospital de Campanha do Wet’n Wild ser inaugurado. O local terá 50 leitos de UTI e, inicialmente seriam 40 leitos clínicos para atender aos pacientes com a forma mais branda da doença, mas o prefeito disse que determinou a instalação de mais uma tenda com novos 40 leitos clínicos no local.

Simulação do funcionamento de um dos leitos (Foto: Max Haack/ Secom)

Para o secretário municipal de Saúde, Léo Prates, a inauguração desses espaços é importante porque a covid-19 reduz a capacidade de utilização dos leitos de UTI pela metade. Ele explicou que essas acomodações são usadas, em média, por quatro pacientes a cada mês, mas que com o novo coronavírus são necessários 14 dias de internação o que reduz a capacidade do leito para apenas dois pacientes/ mês.

“O Itaigara Memorial não é uma hospital de demanda espontânea. Os pacientes que entrarem na unidade estarão regulados, até porque é um hospital de UTI. Ele pode ser transferido de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou de outro hospital”, afirmou o secretário.

Blitz
Léo Prates disse também que quatro pessoas deram positivo para coronavírus durante blitz realizada pela prefeitura nos últimos dias, por isso, o município resolveu ampliar o serviço. A partir de sexta-feira (8) serão três blitz por dia. Elas acontecem em horários e locais distintos da cidade e testam na hora se a pessoa está com a doença.

Antes de fazer a inauguração oficial do Itaigara Memorial o prefeito e o secretario visitaram as instalações. O coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) 192 em Salvador, Ivan Paiva, também fez uma visita ao local. “Desde que começou a pandemia nos preocupava a disponibilidade de leitos, então, esse incremento é muito importante”, disse.

Prefeito e secretário da Saúde visitam o hospital antes da inauguração (Foto: Max Haack/ Secom)

Além do Itaigara Memorial e do hospital de campanha do Wet’n Wild, o município tem contratos com os Hospitais Português, Santa Izabel, Martagão Gesteira, e está fazendo a ampliação do Hospital Municipal. Juntos, eles vão oferecer 39 leitos de UTI para paciente com covid-19. A prefeitura fez a requisição administrativa do Hospital Sagrada Família, no Bonfim, e o local está em fase de adaptação. Ele será gerido pelas Obras Sociais Irmã Dulce, e terá dez leitos de UTI e dezenas de acomodações clínicas.

O Hospital Salvador também será usado e vai oferecer mais dez leitos de UTI. O município fez requisição administrativa para usar o COT, onde serão oferecidos outros dez leitos de UTI. “A prefeitura pretende através do processo de seleção pública identificar uma organização social que tenha condições de fazer a gestão dessa unidade hospitalar e colocar mais 40 leitos de UTI, além dos dez já existente” afirmou Neto.

Já o Hospital Prohope, em Cajazeiras, por enquanto está recebendo apenas pacientes clínicos infectados pelo novo coronavírus, mas a prefeitura disse que a unidade vai oferecer dez leitos de UTI em breve.

Atualmente, Salvador tem 933 leitos clínicos e de UTI para pacientes com a covid-19 na rede municipal, estadual e privada. A estimativa é de que eles comecem a faltar ainda maio, primeiro, no dia 14, haverá déficit dos leitos clínicos, e a partir do dia 20, das acomodações de UTI. A prefeitura acredita que a curva de contaminação vai começar a diminuir apenas a partir de 23 de junho.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas