Imóvel desaba e deixa vítimas soterradas após chuva forte em Pituaçu

salvador
13.03.2018, 07:04:23
Atualizado: 13.03.2018, 18:53:58
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Imóvel desaba e deixa vítimas soterradas após chuva forte em Pituaçu

Sete pessoas estavam na construção no momento do acidente

A chuva que atinge Salvador e Região Metropolitana na manhã desta terça-feira (13) provocou o desabamento de um imóvel de quatro pavimentos na Rua Alto de São João, em Pituaçu. Um adolescente de 12 anos, uma criança de 1 ano e dois adultos de 31 e 34 anos morreram. De acordo com a Defesa Civil de Salvador (Codesal), sete pessoas estavam no local quando a construção ruiu às 6h.

Foram sete horas de buscas - os bombeiros encerraram o trabalho por volta de 13h30, quando resgataram a quarta e última vítima

O corpo de Robert de Jesus, 12 anos, foi o primeiro a ser retirado dos escombros durante operação de resgate dos bombeiros. Já o corpo do tio dele, Allan Pereira de Jesus, 31, foi retirado na sequência, por volta de 11h10. Ao meio-dia os bombeiros retiraram o corpo de Arthur, 1 - sobrinho de Allan e filho da doméstica Rosemary Pereira, 34, que foi encontrada sem vida e teve o corpo retirado dos escombros por volta das 13h20. Rosemary era mãe de Arthur e Robert.

Outras quatro pessoas foram resgatadas com vida. Irmão de Rosemary, Alex Pereira de Jesus, 29, sua mulher Beatriz, 30, e a filha do casal, Sabrina Menezes, de 11 meses, foram retirados com a ajuda da população, e Rosângela Santana de Jesus, 30, que passou mal, mas não estava no imóvel, foram encaminhadas para atendimento médico pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Beatriz e Sabrina foram levadas para o Hospital Geral do Estado (HGE). 

Alex contou que escutou estalos na edificação e foi atingido na cabeça por telhas assim que o imóvel começou a desabar. Ele conseguiu sair.

Emocionado (ver vídeo abaixo), Alex ajudava no resgate das vítimas. A família morava no último andar do imóvel - que possuía ainda um subsolo. Foi Alex quem construiu o prédio junto com a família com o sonho de ter todos morando juntos.

Vizinhos tentaram retirar as vítimas dos escombros desde os primeiros momentos após o desabamento - pouco tempo depois chegaram os bombeiros e socorristas do Samu. Para o local, foram enviadas quatro ambulâncias e 15 profissionais. Um helicóptero do Grupamento Aéreo da PM (Graer) também foi enviado ao local.

"A casa tem pouco tempo de construída", relatou uma familiar das vítimas. No local, era possível sentir um forte cheiro de gás após o desabamento. 

"Eu sou madrinha de Arthur. Esse prédio tem pouco tempo de construído, acho que dois anos. No andar de baixo, moravam dois irmãos e duas crianças: Robert (12 anos), Arthur (1 ano), Rosemary e Allan, que é ajudante de pedreiro", contou Norma Barbosa. 

A madrinha de Arthur afirma que soube da notícia do desabamento pela televisão. "Fico nervosa sem saber como ele está. Me ligaram contando e eu vim pra cá". 

Em outro andar moravam Alex, auxiliar de serviços gerais de 29 anos, sua mulher Beatriz e a filha do casal, Sabrina. Os três saíram com vida. 

Primo do adolescente que morreu, Daniel de Jesus, 24, contou que Robert era um adolescente alegre. "Quando eu ouvi o barulho, achei que era pouca coisa. Estava brincando com ele ontem de noite. Era um menino alegre e brincalhão. Ontem ficamos brincando até umas 10h da noite. Ele falou para eu não ir embora e dormir aqui". Daniel acabou indo para casa, que fica numa rua ao lado.

Estalos
Vizinhos relatam que, por volta de 5h50, escutaram estalos no imóvel, que fica num beco na Rua Alto de São João, e tentaram avisar as famílias que moravam no local. 

O cunhado de uma das vítimas, Jonas Lima, 40, afirmou que, após escutar o barulho, foi até a janela da casa, olhou para o prédio e viu que vizinhos tentavam avisar os moradores. Minutos depois, ouviu um estrondo e o imóvel desabou.

"Ficamos todos desesperados gritando por socorro. Em nome de Jesus, há de sair pessoas com vida. É minha família inteira", lamentava Rosângela Santana de Jesus, 38, irmã de Allan, Rosemary e Alex.

O major do Corpo de Bombeiros Militar, Ramon Diego, explicou que a presença de muitos escombros no local dificultou o resgate. "Estamos tentando acessar a laje. Estamos fazendo um trabalho de escuta no local para tentar localizar as vítimas. Estamos agora entre o primeiro e o segundo andar do prédio. Há muito cheiro de gás no local. Quando tem esse tipo de evento, rompem as estruturas e esse cheiro é projetado para fora. Precisamos que fosse desligada a energia do local. Estamos com esperança de tentar resgatar as pessoas com vida", explica o major que comandou a equipe de 30 bombeiros. 

A Coelba informou que, por conta do resgate, foi desligado apenas o fornecimento de energia do imóvel que desabou. O resto das casas da rua continua com eletricidade.  

Cerca de 30 pessoas ajudavam a retirar os escombros. Os bombeiros, a todo momento, pediam silêncio - usando um apito - para tentar escutar ruídos das vítimas soterradas. 

Veja imagens do resgate registradas pelo repórter fotográfico Mauro Akin Nassor/CORREIO:

(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)

A Codesal informou, às 11h30, que registrou 91 solicitações desde o início das chuvas fortes que caem em Salvador. Entre as principais ocorrências estão 24 alagamentos de imóveis; cinco alagamentos de área; 18 ameaças de desabamento; dez ameaças de deslizamento; quatro ameaças de queda de árvores; duas árvores caídas; um desabamento de imóvel; 15 deslizamentos de terra; um destelhamento; e uma pista rompida. 

Já choveu nas últimas horas mais de 50% do previsto para o mês de março. Qualquer emergência, a população deve ligar para o telefone 199.

A previsão é que o tempo fique instável até a próxima quinta-feira (15). 

Trânsito e chuva 
O trânsito ficou lento nas principais avenidas da cidade por conta do acúmulo de água. Na Avenida Jequitaia, um ônibus perdeu o controle e subiu no canteiro, derrubando parcialmente um poste. Um poste também caiu sobre carros no bairro do Marback. A queda comprometeu o fornecimento de energia elétrica. 

Trânsito ficou lento nas principais avenidas de Salvador (Foto: Naiana Ribeiro/CORREIO)

Na Estrada do Derba, BA-528, houve um deslizamento de terra e uma árvore obstruiu a via no sentido Base Naval, após o Hospital do Subúrbio.

Na Avenida Paralela, o trânsito é bastante lento no sentido Centro. A Rua Voluntários da Pátria, no Lobato, ficou alagada.