'Impossível conversar com o presidente da Anvisa', afirma Bolsonaro

brasil
31.12.2021, 10:46:00
Barra Torres em live antiga com Bolsonaro (Reprodução)

'Impossível conversar com o presidente da Anvisa', afirma Bolsonaro

"Diálogo fechou" após decisão por imunização de crianças

O presidente Jair Bolsonaro disse na quinta-feira (30) que é "impossível" conversar com o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres. Indicado por Bolsonaro, Barra Torres já foi elogiado pelo presidente em várias ocasiões, mas o relacionamento entre os dois não passa por um bom momento.

Ao longo da pandemia da covid-19, o presidente da Anvisa teve opiniões que contrariam Bolsonaro, por defender a vacinação. O conflito se aprofundou com a decisão da agência de autorizar imunização contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos, o que irritou Bolsonaro.

Na semana passada, Barra Torres disse em entrevista a O Globo que o presidente havia feito declarações "muito infelizes" que incentivaram pessoas a ameaçarem servidores da Anvisa após a decisão. 

"Não vou falar mais de Anvisa aqui porque fechou o diálogo. Fechou o diálogo. É impossível conversar mais ali com o presidente da Anvisa. Ele tem a opinião dele, tem mandato, e continua lá. Boa sorte para ele, tomara que ele acerte. Mas, quando se fala em vacinar crianças, isso é uma coisa que mexe conosco", disse Bolsonaro, em sua live semanal.

Bolsonaro repetiu que não vai autorizar a vacinação da filha de 11 anos, Laura. "Não vou vacinar a minha filha, decisão minha. Conversei com minha esposa, ela está alinhada comigo. A minha esposa se vacinou. Ela quis se vacinar, foi se vacinar. A nossa filha nós entendemos que ela não tem quase nada a ganhar com a vacina", disse.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas