Inquérito conclui que Moa do Katendê foi morto por briga política

salvador
17.10.2018, 11:03:00

Inquérito conclui que Moa do Katendê foi morto por briga política

Segundo a SSP, dono do bar e outras testemunhas citaram discussão sobre eleição

Mestre Moa do Katendê foi assassinado por causa de uma discussão político-partidária. A conclusão é do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que encerrou o inquérito da morte do capoeirista Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, e encaminhou para o Ministério Público (MP-BA), na última segunda-feira (15). Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, 36, matou a vítima a facadas após uma discussão político-partidária.

Moa foi morto na madrugada do dia 8 de outubro, horas depois do resultado do primeiro turno das eleições, com mais de 10 facadas, a maioria na região das costas. O caso aconteceu após uma discussão no Bar do João, na localidade do Dique Pequeno, Engenho Velho de Brotas. Ele bebia com um irmão e um primo no local, e o crime aconteceu pouco depois da meia-noite. O autor foi preso em flagrante pela PM e confessou o assassinato.

Além do depoimento do barbeiro, a polícia também ouviu o dono do bar onde aconteceu a morte, próximo ao Dique do Tororó, e testemunhas - todos confirmaram que posições políticas divergentes iniciaram a discussão entre Paulo Sérgio, que se declarou eleitor de Jair Bolsonaro (PSL), e Mestre Moa, eleitor do Partido dos Trabalhadores (PT).

Após Moa do Katendê anunciar seu voto, Paulo pagou a conta no bar, foi até a sua residência para pegar a arma do crime, voltou ao estabelecimento e agrediu a vítima. O primo dele, Germínio do Amor Divino Pereira, 51, também ficou ferido ao tentar evitar o assassinato. Ele ficou internado no Hospital Geral do Estado (HGE), onde passou por uma cirurgia nos ligamentos de uma das mãos, mas já teve alta e passa bem.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas