Iraniana esfaqueia americano durante o sexo em 'vingança' por general morto

em alta
14.03.2022, 17:02:40
(Reprodução)

Iraniana esfaqueia americano durante o sexo em 'vingança' por general morto

Nika Nikoubin, de anos 21, contou à polícia que cometeu o crime por retaliação aos EUA por matar o militar Qasem Soleimani em 2020

Uma jovem iraniana de 21 anos esfaqueou um homem americano enquanto faziam sexo em um quarto de hotel, em Nevada, nos EUA. À polícia, Nika Nikoubin contou que cometeu o crime em vingança pela morte do líder militar iraniano Qasem Soleimani, morto em um ataque de drone dos EUA em 2020. 

Nika e o homem - que ela conheceu no site de namoro "Plenty of Fish" - concordaram em se encontrar no Hotel e Casino Sunset Station, no último 5 de março, alugando um quarto juntos, disse a polícia da cidade perto de Las Vegas à "KLAS-TV", emissora local.

Quando o casal começou a fazer sexo, a iraniana colocou uma venda nos olhos do homem antes de desligar as luzes. Minutos depois, o homem “sentiu uma dor na lateral do pescoço”. A polícia disse que Nika o esfaqueou no pescoço “por vingança contra as tropas dos EUA pelo assassinato de Soleimani.

Após o esfaqueamento, a vítima empurrou Nika de cima dele, fugiu do quarto e ligou para a polícia. A mulher foi presa por tentativa de homicídio.

Em depoimento, ela disse que não queria matar o homem, "apenas machucá-lo". Ela é mantida sob fiança de US$ 60 mil e aguarda uma audiência no tribunal, marcada para o dia 24 de março. O estado de saúde da vítima não foi informado.

Bombardeio americano

Qassem Soleimani era comandante da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã (Quds, na tradução do persa) e foi morto em um bombardeiro, autorizado pelo então presidente Donald Trump, no Aeroporto Internacional de Bagdá, no Iraque. 

Qassem Soleimani, comandante da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã - Foto: AP

Além de Soleimani, foi morto também o iraquiano Abu Mahdi al-Muhandis, alto comandante de uma milícia apoiada pelo Irã conhecida como Forças de Mobilização Popular do Iraque. Eles estavam em um comboio que seguia na estrada que leva para o Aeroporto Internacional de Bagdá quando foram atingidos pelo bombardeio.

Em comunicado, o Departamento de Defesa dos EUA disse que Soleimani planejava atacar diplomatas e funcionários americanos "no Iraque e por toda a região".

"Esse bombardeio teve o objetivo de impedir futuros planos de ataques iranianos. Os EUA vão continuar a tomar todas as ações necessárias para proteger nosso povo e nossos interesses em qualquer parte do mundo", afirma o comunicado.

O bombardeio ocorreu em meio a tensões com os EUA depois que manifestantes invadiram a embaixada americana em Bagdá nesta semana. Um cerco de dois dias à embaixada, encerrado na quarta-feira, levou Trump a ordenar o envio de 750 soldados para o Oriente Médio.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas