Jantar no Caminho das Árvores mantém tradição secular que une Bahia e França

alô alô
24.11.2020, 15:23:23
Atualizado: 24.11.2020, 15:40:43

Jantar no Caminho das Árvores mantém tradição secular que une Bahia e França

Casal de chefs Hélder Dantas e Erika Peleteiro apresentou menu franco-baiano na Todeschini

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Desde que Caramuru e Catarina Paraguaçu desembarcaram em Saint-Malo, por volta de 1528, foi iniciada uma tradição secular que perdura até hoje na relação Brasil-França: casais que buscam unir as duas culturas para fazer história.
 
Os mais novos representantes dessa cultura franco-baiana são os chefs Hélder Dantas e Erika Peleteiro, cujos currículos perpassam grandes restaurantes estrelados pelo guia Michelin na França.
 
Eles voltaram a Salvador esta semana para comandar duas experiências gastronômicas na loja Todeschini, na Alameda das Espatódeas.

Jantar no Caminho das Árvores mantém tradição secular que une Bahia e França

O casal de chefs Hélder Dantas e Erika Peleteiro trabalhou anos em restaurantes franceses do guia Michelin; na volta à Bahia, trouxe a expertise (Foto: Divulgação)

A pedido dos empresários Christianne e Ronaldo Peleteiro, o casal Caramuru-Paraguaçu do século XXI trouxe a tradição da culinária francesa unida às melhores tradições baianas para o encontro “Le Couer de la Cuisine” (O coração da cozinha), só para convidados clientes e parceiros, nesta segunda-feira (23).

Clique para ver galeria de fotos do jantar.

Ao Alô Alô, Hélder revelou os segredos do menu. “Estamos vindo com a proposta de trazer o conhecimento francês para o Brasil, e de fazer essa mistura da nossa cultura materna, da nossa terra, de trazer toda a técnica que nós adquirimos fora do país  e criar um menu em volta de legumes e frutas da estação, com a cara e a cor da Bahia”, explicou.
 
Erika emendou com mais detalhes. “Vamos trabalhar com os produtos locais. O objetivo é valorizar os produtos da região de onde viemos e utilizar as técnicas que aprendemos lá fora”, revelou a chef.

Erika e Hélder se conheceram no Brasil e, em busca do sonho de trabalhar com gastronomia, se mudaram para a França, onde ingressaram no Institut Paul Bocuse, considerado uma das maiores instituições de culinária no mundo.
 
Atualmente residindo em Annecy, no sudeste da França, ele atua em um bistrô com produtos locais e de alta qualidade, enquanto ela trabalha em uma casa três estrelas, cuja especialidade são peixes lacustres e legumes da região.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas