Juíza da Bahia manda MEC suspender cortes nas universidades federais

educação
07.06.2019, 21:44:41
Atualizado: 08.06.2019, 12:50:23
(Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)

Juíza da Bahia manda MEC suspender cortes nas universidades federais

Ufba foi uma das três primeiras instituições a ter verba bloqueada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Justiça Federal da Bahia mandou o Ministério da Educação (MEC) suspender os cortes em universidades federais. A Universidade Federal da Bahia (Ufba) foi uma das três primeiras do Brasil – ao lado da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade Federal Fluminense (UFF) – a ter verbas bloqueadas pelo MEC.

Caso a decisão não seja cumprida no prazo de 24h, haverá uma multa diária de R$ 100 mil.

A decisão é da juíza Renata Almeida de Moura Isa, da 7ª Vara Federal, na Bahia, acolhendo do deputado federal baiano Jorse Solla (PT).

"Acolho o pedido de tutela de urgência para determinar a suspensão dos bloqueios realizados pelo MEC sobre as verbas discricionárias do orçamento das universidades federais", escreveu. A juíza cita "diversas ações populares e ações civis públicas" que tiveram a mesma solicitação.

A magistrada ressaltou que, a não ser quando é "verificada ilegalidade ou exigência que se afaste das normas constitucionais", não cabe ao Judiciário inteferir em bloqueios determinados pelo Executivo.

Ela também criticou ataques do ministro da Educação, Abraham Weintraub, às universidades federais - que acusou instituições de estarem promovendo 'balbúrdia'.

"Não há necessidade de maiores digressões para concluir que as justificativas apresentadas não se afiguram legítimas para fins de bloqueio das verbas originariamente destinadas à UNB, UFF e Ufba, três das maiores e melhores Universidades do país, notoriamente bem conceituadas, não apenas no ensino de graduação, mas também na extensão e na produção de pesquisas científicas. As instituições de ensino em questão sempre foram reconhecidas pelo trabalho de excelência acadêmico e científico ali produzido, jamais pela promoção de “bagunça” em suas dependências", seguiu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas