Lisboa para turistar em 24 horas: conheça principais pontos prum rolé lusitano

turismo
15.03.2017, 07:30:00

Lisboa para turistar em 24 horas: conheça principais pontos prum rolé lusitano

O que fazer na capital portuguesa mesmo com tão pouco tempo?

A vista do histórico bairro de Alfama com suas casas brancas e telhados vermelhos encanta de cima do Miradouro de Santa Luzia (Fotos: Daniel Silveira)

Paradinha
Entre 2009 e 2016, Lisboa se tornou uma das cinco capitais europeias com maior aumento de turistas. O número de pessoas que pernoitaram por lá subiu 7,4% nesse período, de acordo com dados do Global Destinations Cities Index. Para quem está no meio de uma viagem mais longa para outros destinos com conexão pelo país, a TAP Portugal oferece um serviço chamado Stopover. Com ele, dá para estender o tempo por lá em até 72 horas sem tarifas. Mas o que fazer em tão pouco tempo em uma cidade como Lisboa, por exemplo? Montamos um roteiro breve em que dá para aproveitar a gastronomia e belezas da cidade.

Castelo de São Jorge: construído no Século XI por muçulmanos (Foto: Wikipedia)

Hospedagem 
Dê preferência a um local próximo de estações de trem, metrô e elétrico. O Chiado é uma boa pedida. Outra opção é o Bairro Alto, com sua noite agitada e seus inúmeros bares.

Roteiro
Cheguei a Lisboa num final de tarde, tempo para uma caminhada pelo Chiado e Bairro Alto, explorando restaurantes e bares. No caminho, uma parada no O Trevo (Praça Luís de Camões, 48, Bairro Alto) para saborear o bolinho de bacalhau deles, a bifana e a cerveja (apenas 1€). A sobremesa foi na Manteigaria, que fica na Rua do Loreto, um pouco mais acima, e vende um dos melhores pastéis de nata da cidade por 1 euro.

Torre de Belém: prédio do Século XVI com importância histórica

Pela manhã
Uma opção é conhecer a Torre de Belém, construção do início do Século XVI, que foi um forte e também funcionou como prisão. A entrada custa 6 euros. Perto dela fica o Padrão dos Descobrimentos, escultura que homenageia as grandes navegações portuguesas. Para chegar lá, pegue um trem no Cais do Sodré até a estação de Belém e siga caminhando. 

Lisboa chama atenção por suas ruas com construções antigas

Pegue o bonde
Antes de pegar o  elétrico, compre o bilhete diário em qualquer estação, que custa 6,15 euros e pode ser usado no metrô e nos bondes durante 24 horas. Na Praça Martim Moniz, tome o elétrico 28 e siga com ele. O bilhete diário permite descer e subir quantas vezes quiser. Foi o que fiz para aproveitar os diversos pontos turísticos por onde ele passa, como o Castelo de São Jorge, por exemplo. O local foi construído por muçulmanos no Século XI, ainda está de pé e recebe visitas, diariamente, a partir das 9h. O valor do bilhete é  8,50 euros. Depois do castelo, desça ao Miradouro Santa Luzia e confira a vista do bairro de Alfama. As casas brancas com telhados vermelhos ficam lindas sob a luz crepuscular.

Elétrico 28: tem um roteiro que passa por vários pontos turísticos

Fado na Alfama
Para encerrar o dia, desça até a Alfama e deixe-se perder pelas ruelas do bairro, um dos mais antigos da capital. Na rua São Miguel fica A Baiuca, restaurante com apenas 5 mesas, divididas entres os clientes. A capacidade é de aproximadamente 30 pessoas. A recepção é feita pelos donos,  Isabel e Rui. Chegue antes das 20h ou corre o risco de não achar lugar. A partir desse horário acontecem apresentações de fado. O valor pago para assistir aos fadistas, um deles o próprio Rui, é  25 euros por pessoa, revertido em consumação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas