Maestro do time, Régis vive fase de goleador na atual temporada

e.c. bahia
31.03.2017, 06:32:00

Maestro do time, Régis vive fase de goleador na atual temporada

Meia já balançou as redes sete vezes em 2017 e é o artilheiro da equipe

O Bahia recentemente acertou a saída de Renato Cajá, que enquanto esteve no clube, vestiu a camisa 10 sem justificar tamanha honra. Já Régis, número 20, teve outra atuação de maestro, desta vez no triunfo do tricolor sobre o Sergipe por 4x2, pelas quartas de final da Copa do Nordeste.

Régis é o principal jogador do Bahia na temporada e artilheiro da equipe com 7 gols (Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia)

 “Fizemos um grande jogo, conseguimos uma boa vantagem. Mas o que aconteceu já passou. Temos foco dentro de casa, time difícil, impomos nosso ritmo, fizemos um resultado positivo. Agora é descansar, ver onde podemos melhorar. Não é por termos ganhado que está tudo certo”, ponderou o meia.

O jogador sofreu o pênalti convertido por Hernane, fez um lindo corta-luz no belo gol de Zé Rafael, deu a assistência para o gol de Matheus Reis e ainda fechou a goleada completando boa jogada de Edigar Junio. O gol, inclusive, foi o sétimo dele na temporada, e o manteve na artilharia do time a frente de Hernane, que tem cinco ao todo. 

Os números de Régis melhoraram consideravelmente em 2017. Ano passado, ele disputou 26 jogos na Série B, sendo somente sete como titular. Marcou quatro gols e deu quatro assistências. Este ano, foram 12 jogos, todos como titular, com sete gols marcados e duas assistências.

Para ele, não haveria evolução individual se não fosse a ajuda de todos os companheiros. “O grupo é essencial, temos que procurar ajudar um ao outro. Quem ganha é o Bahia. Se todos tiverem o pensamento de melhorar, de ajudar o companheiro, vamos ganhar as partidas”, afirmou. 

Bom indicativo 

A atuação não só de Régis, mas de toda a equipe diante do Sergipe, agradou bastante o técnico Guto Ferreira, principalmente o desempenho ofensivo. No entanto, o comandante tricolor sabe que os objetivos ainda estão longe de serem alcançados e, por isso, prega cautela. 

“Vai chegar no que eu quero quando a gente atingir todos os objetivos. Fim de ano com uma posição qualificada na Série A, conseguir os títulos das competições que estamos jogando, aí estaremos contentes. Enquanto não atingir, vamos buscar, questionar, ser chato com os jogadores para melhorar, jogar de forma intensa. Hoje encaixou, não é todo jogo que encaixa. Importante é que nos últimos jogos dessa equipe está encaixando. Depois da partida contra o Paraná fizemos quatro contra o Moto, três contra o Galícia, dois contra o Fortaleza”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas