Maioria no NE prefere candidato que não tenha exercido cargo público

satélite
09.08.2017, 04:34:00

Maioria no NE prefere candidato que não tenha exercido cargo público

Por Jairo Costa Júnior, com Luan Santos

Se a tendência apresentada pela nova pesquisa nacional do Instituto Paraná se mantiver será difícil os deputados federais nordestinos se reelegerem em outubro do ano que vem. O recorte regional do levantamento, feito ontem pelo Paraná a pedido da Satélite, mostra que 66,2% dos eleitores do Nordeste preferem votar em um candidato que ainda não tenha exercido cargo público, enquanto 17,2% escolheriam parlamentares com passagem pelo Congresso. A predileção por novatos em detrimento dos veteranos só é maior no Norte/Centro-Oeste, onde alcança 75,3%, ante 61,2% do Sul e 57,4% do Sudeste, onde a tolerância se mostrou maior.

Em relação à média nacional, o Nordeste está três pontos percentuais a mais. O resultado vai ao encontro do que pensam estrategistas e analistas políticos, que projetam um alto índice de renovação no poder Legislativo na próxima sucessão. Em termos numéricos, 26 nomes da bancada baiana na Câmara perderiam a vaga e somente 13 renovariam o mandato, caso o resultado da sondagem se reflita nas urnas. 

Quem entende
A pesquisa do Instituto Paraná também revela um paradoxo sobre o eleitorado nordestino. Indagados se o desemprego cairá com a absolvição de Temer pela Câmara dos Deputados, 27% dos entrevistados do Nordeste disseram que sim. O  percentual do mais forte reduto petista ficou acima de todas as outras regiões.

Tricolor no radar
O presidente do Bahia, Marcelo Sant’Anna, foi sondado recentemente por deputados do PSD sobre seu interesse em uma eventual carreira política. Deixaram as portas abertas para que o dirigente entre na legenda a tempo de disputar a eleição de 2018. Procurado, Sant’Anna foi evasivo ao comentar propostas de partidos. Não descartou nem confirmou. Disse apenas que, no momento, estava concentrado em crescer como executivo do futebol e levar o Esquadrão de Aço o mais longe que puder no Brasileirão.

Outra plumagem
Antes de deixar Salvador, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSD), pediu aos tucanos da Bahia que eles sejam ativos nas redes sociais e se comuniquem com o eleitorado virtualmente. Em conversa com o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, e os deputados Adolfo Viana, Augusto Castro e João Gualberto, repetiu o apelo que faz nas reuniões com os caciques nacionais do partido: “É preciso fazer política e dialogar para além dos gabinetes, se quisermos manter a conexão com a sociedade no futuro”.

Aspa
"Isso nos assusta. Seria mercadológico?", Alice Portugal, deputada federal do PCdoB, ao defender o projeto de sua autoria que proíbe cursos de graduação a distância em saúde, para ela, incapazes de fornecer ensino adequado para formar profissionais da área

Pesos e medidas
Líderes da oposição estão curiosos para saber o comportamento dos militantes de esquerda e deputados da base governista na cerimônia de entrega do título de Cidadão Baiano ao senador paranaense Álvaro Dias (Podemos), próximo dia 18, no plenário da Assembleia Legislativa. Recém-filiado ao ex-PTN, Dias tem perfil parecido ao prefeito paulistano João Doria, alvo de ataques com ovos de manifestantes ligados ao PT quando chegava à Camara de Vereadores para receber título de Cidadão Soteropolitano, na noite de segunda-feira.

Prova dos nove
Álvaro Dias é pré-candidato à Presidência e apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, assim como João Doria. Integra um partido que só em maio rompeu com o Planalto, embora tenha votado majoritariamente contra a denúncia do presidente Michel Temer. Para membros da oposição, será a chance de saber se o ataque ao tucano foi movido ou não pela briga política local.

Pílulas
Fala, SSP!  A Secretaria da Segurança Pública esclarece que em nenhum momento foi comunicada sobre toque de recolher imposto por traficantes de drogas aos mobilizadores sociais da prefeitura no Conjunto Baixa Fria, em São Marcos, noticiada na edição de ontem. Destacou ainda que as secretarias municipais de Infraestrutura e de Promoção Social também afirmaram desconhecer o caso. 
Em pauta  Ainda segundo a SSP, o comandante da PM na região , major Sérgio Malvar, “destacou a boa relação com a comunidade, com trocas permanentes de denúncias, e que nenhuma informação sobre o assunto chegou na unidade”. Por fim, adiantou que, mesmo sem ter sido acionada, a polícia vai averiguar a denúncia.
Spam oficial Usuários de WhatsApp se queixaram por ter recebido, nos últimos dez dias, mensagens enviadas em nome do governo do estado. O interesse é saber a opinião deles sobre obras feitas na Região Metropolitana.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas