Mais Futuro: universitários devem atualizar CadÚnico para participar da segunda etapa

bahia
29.09.2017, 14:37:00
(Foto: Divulgação)

Mais Futuro: universitários devem atualizar CadÚnico para participar da segunda etapa

São oferecidos estágio e auxílio permanência para estudantes de baixa renda participantes do CadÚnico

 
Quem deseja participar da segunda etapa do programa Mais Futuro, iniciativa que oferece estágio no setor público e auxílio permanência para estudantes de baixa renda, precisa atualizar o cadastro centralizado de programas sociais do governo federal (CadÚnico). O projeto é voltado para universitários da Estadual de Feira de Santana (Uefs), de Santa Cruz (Uesc), do Sudeste da Bahia (Uesb) e para a Universidade do Estado da Bahia, (Uneb). As inscrições para o programa devem começar nos próximos dias e poderão ser realizadas no site (maisfuturo.educacao.ba.gov.br).
 
Para fazer a atualização, o estudante deve ir no setor responsável pelo CadÚnico ou pelo Bolsa Família da cidade em que mora. O interessando também pode buscar orientações sobre o programa no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo de casa. Em algumas localidades, o próprio Cras realiza o cadastramento das famílias. 
 
“Essa iniciativa do Governo do Estado é de fundamental importância para assegurar que os estudantes permaneçam no curso sem sofrer descontinuidade. Sabemos o quanto o auxílio financeiro é importante para os jovens continuarem seus estudos na universidade, por isso, estamos atentos às necessidades deste segmento e continuaremos a investir na formação dos nossos jovens”, afirmou o governador Rui Costa.  
 
 
Benefício
O objetivo do incentivo é garantir a permanência desses estudantes nas salas de aula e a conclusão dos cursos de graduação. O auxílio do programa Mais Futuro varia de R$ 300 a R$ 600 mensais. O primeiro valor é destinado a universitários que estudam a até 100 quilômetros da sua cidade de origem. Já o segundo é para aqueles que moram em cidades a mais de 100 quilômetros de distância do campus onde estão matriculados. Candidatos ao programa Mais Futuro não devem possuir vínculo empregatício e não ter concluído qualquer outro curso de nível superior.
 
 Estando dentro do perfil do programa, o estudante poderá receber o auxílio desde o primeiro semestre até completar dois terços do curso. No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado. 
 
O pagamento das bolsas é feito diretamente ao próprio estudante, por meio de cartão, em conta bancária criada com essa finalidade. Para o secretário da Administração, Edelvino Goes, o programa Mais Futuro “é um case de sucesso nacional em termos da administração pública, pela complementaridade da políticas públicas e pelo papel assumido pelo Estado na formação de mão de obra qualificada para o setor público, por meio do estágio, pois muitos desses jovens prestarão concurso futuramente”.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas