Máscara e distanciamento: academias reabrem após passar um mês fechadas

salvador
05.04.2021, 16:02:00
Academias estavam fechadas por conta do risco de contaminação (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

Máscara e distanciamento: academias reabrem após passar um mês fechadas

Professores orientam alunos a pegarem leve nas duas primeiras semanas

O jogador de futebol Hugo Sander, 24 anos, diz que estava contando as horas para as academias reabrirem. Desde que as atividades foram suspensas, há cerca de um mês, ele estava treinando em casa. O atleta comprou algumas anilhas e tentou seguir uma rotina de treinos, mas estava agoniado. Por isso, nesta segunda-feira (5), primeiro dia de reabertura das academias, ele correu para malhar.

“Estava treinando em casa, fazendo alguns exercícios que o professor tinha passado, usando o peso do corpo e alguns materiais. Não era igual a malhar na academia, mas deu para treinar. Eu estava contando as horas para reabrir. Retomar essas atividades foi uma boa ideia, porque aos poucos e tomando os devidos cuidados a gente pode ir voltando com segurança”, afirma.

Hugo Sander voltou a malhar depois de 30 dias treinando em casa (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

Sander conta que fazer exercícios de máscara incomodou no início da pandemia, mas que com o passar das semanas foi acostumando com o equipamento. O líder da unidade da Selfit do Extra Paralela, Vitor Almeida, onde o jogador estava treinando, garante que o uso do equipamento é indispensável, assim como o distanciamento entre os alunos e a higienização do espaço.

“Reduzimos o quantitativo de alunos por horário para 50% da capacidade, os treinos são feitos por agendamento, e quando chegam à unidade eles têm a temperatura aferida e é feita a higienização das mãos. É fundamental que as academias sejam retomadas. É um espaço que podemos fiscalizar, onde há controle da higienização, do distanciamento e da quantidade de convidados. É essencial essa liberação”, declara.

Vitor Almeida defende que o uso de máscara nos treinos é indispensável (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

As academias receberam autorização do governo do estado para funcionar a partir desta segunda (5), mas precisam operar com apenas metade da capacidade, fazer o distanciamento entre os clientes e obedecer às regras de higienização. Por conta do toque de recolher, que entra em vigor a partir das 20h e vai até 5h, todas estão encerrando as atividades mais cedo, às 19h30. O horário para início das atividades é a partir das 5h30.

Na Alpha Fitness, no Costa Azul, algumas máquinas foram interditadas com fitas para distanciar os clientes, e as aulas de dança têm marcadores no chão para evitar o contato entre os alunos. O horário de funcionamento foi alterado. Entre 10h e 12h e das 14h às 16h, o espaço fica fechado para passar por uma limpeza.

Equipamentos são isolados para evitar contato entre alunos
Equipamentos são isolados para evitar contato entre alunos (Fotos: Nara Gentil/ CORREIO)

Cautela
Para muitos alunos que ficaram os últimos 30 dias parados ou fazendo exercícios mais leves em casa a retomada das atividades é o momento de recuperar o tempo perdido, mas os professores alertam que é preciso ter cuidado. O instrutor Victor Hugo Oliveira, da Selfit, explica que pegar leve é fundamental para evitar complicações nesse momento.

“O aluno tem que se recondicionar. Ele precisa fazer um treinamento para voltar a ganhar resistência muscular, principalmente se durante esses 30 dias ele ficou sem se exercitar. Muitos treinaram em casa. Quem fez isso terá uma facilidade e o retorno será mais rápido do que quem ficou completamente inativo durante esse tempo”, analisa.

Victor Hugo afirma que alunos precisam de um recondicionamento (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

O instrutor diz que mesmo quem treinou em casa durante o isolamento precisa pegar leve no retorno, usar cargas menores para evitar lesões, e, depois de algumas semanas, voltar ao mesmo condicionamento de antes do fechamento.

O coordenador geral da Rede Alpha Fitness, Guilherme Reis, destaca os benefícios da atividade física em tempos de pandemia. Ele alega que fazer exercícios ajuda a combater alguns males provocados pelo isolamento, como a obesidade, o estresse e a ansiedade.

“Estudos já comprovaram os benefícios no exercício contra a covid. Muitas pessoas reclamam de estresse ou estão com grau de obesidade elevado, principalmente nesse momento de pandemia, e a atividade física é essencial. Ela regula o nosso sistema imunológico, ajuda na perda de peso, no controle emocional, e melhora a qualidade do sono. Então, nos permite uma qualidade de vida melhor”, garante.

Equipamentos são higienizados para uso (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

Tranquilidade 
O movimento de alunos foi tímido nesse primeiro dia de retomada, mas não muito diferente da rotina normal. Os usuários que têm o habito de treinar todos os dias marcaram presença, e, como algumas empresas aproveitaram o momento para fazer promoções, houve também a matrícula de novos alunos, mas o movimento mais intenso é aguardando a partir de quarta-feira (7).

A reportagem encontrou uma equipe de fiscalização da Secretaria de Desenvolvimento de Urbanismo (Sedur) em uma das academias. Os fiscais contaram que pela manhã não encontraram irregularidades nos estabelecimentos visitados, mas que flagraram situações de comércios de portas abertas sem autorização, como lojas de rua e barbearias, duas categorias que só podem funcionar a partir de terça-feira. Nesses casos, houve interdição.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas