Mayk prevê dificuldades contra o lanterna do Campeonato Baiano

e.c. bahia
05.02.2020, 14:02:00
Atualizado: 05.02.2020, 14:07:35
Mayk foi titular em todos os quatro jogos do time de transição do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Mayk prevê dificuldades contra o lanterna do Campeonato Baiano

Lateral entende que o Jacobina deve incomodar por conta do mando de campo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Atlético de Alagoinhas, Bahia e Vitória são as equipes que somaram oito pontos após quatro rodadas do Campeonato Baiano e brigam pela liderança da competição. O Carcará é o primeiro colocado, à frente do Bahia pelo número de gols marcados e, do Vitória, pelo saldo de gols.

Na próxima rodada o Bahia viaja até o estádio José Rocha para visitar o Jacobina, lanterna da competição com apenas um ponto somado. O time do técnico Arnaldo Lira sofreu cinco gols nos quatro primeiros jogos - indicando uma oportunidade para o tricolor balançar mais as redes e tomar a liderança do Atlético. A partida contra o Jacobina acontece no domingo (9), às 16h.

O time de Dado Cavalcanti tem uma filosofia muito propositiva: evita dar chutões, gosta de construir o jogo desde o goleiro e manter a bola em sua posse. Através desse estilo de jogo, o Bahia conseguiu criar muitas chances de gol, mas concluiu mal. No jogo contra o Vitória da Conquista, a equipe conseguiu escapar ilesa do pecado do desperdício e venceu por 2x0 quando podia fazer mais. Só que a conta chegou contra o Jacuipense, equipe mais qualificada e que foi capaz de punir o Esquadrão após pelo menos três chances claras jogadas fora.

O lateral esquerdo Mayk tem consciência de que as cobranças vindas das arquibancadas não serão menores mesmo com o Bahia optando por utilizar um time B no Campeonato Baiano. Prova viva disso foram as vaias após o empate em 1x1 contra o Jacupa na última rodada. Aos 20 anos, o atleta entende que a corneta é natural e defende que o elenco trabalhe duro para não dar margem às cobranças da torcida.

"Ninguém gosta de perder ou empatar. A gente coloca na cabeça que tem que sair de campo com o triunfo. Infelizmente, como nessa última partida, tivemos muitas críticas, mas algumas pessoas também viram empenho, dedicação da gente em campo. Agora temos que ver, levar os elogios e as críticas também, saber lidar", afirmou o camisa 6.

Mayk é cauteloso na hora de falar sobre o lanterna do Campeonato Baiano. Ele defende que, mesmo ocupando a 10ª colocação, o Jacobina deve oferecer resistência. O mando de campo favorável ao Jegue da Chapada deve impor mais dificuldades ao tricolor, que já enfrentou o time de Arnaldo Lira em amistoso durante a pré-temporada e empatou em 0x0, na Cidade Tricolor.

"Sabemos da qualidade do Jacobina. Fizemos um amistoso com eles aqui. Não é pelo Jacobina estar na última colocação que vamos entrar relaxados. Nessas partidas temos que entrar bem focados, porque sabemos que a gente fez um bom jogo, com o triunfo podemos chegar na liderança do Campeonato. Vamos para cima deles para, se Deus permitir, sair com o triunfo", projetou Mayk.

Além de defender o título estadual e conseguir um tricampeonato que o clube não conquista há 32 anos, os jogadores do time de transição do Bahia ainda têm um outro fator que os motiva a fazer bonito no campeonato: chamar a atenção de Roger Machado, técnico do time principal.

Mayk não é excessão e sabe que tem seu desempenho avaliado com uma certa frequência. Ele afirma que Roger está sempre conversando com os garotos do time de baixo, assim como o restante da comissão técnica. Contra o Jegue, eles terão uma nova oportunidade de encantar.

*com supervisão do editor Herbem Gramacho

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas