Mestra de Capoeira do Nordeste de Amaralina vira protagonista de documentário

correio afro
23.05.2022, 19:36:00
Mestra Preguiça sorri para foto enquanto toca berimbau (Foto: Fernando Gomes/Divulgação)

Mestra de Capoeira do Nordeste de Amaralina vira protagonista de documentário

Documentário precisa de ajuda para sair do papel e produção abriu vaquinha virtual para viabilizar os custos de produção; saiba como ajudar

A  campanha: "Preguiça é história"  receberá doações através da plataforma Vakinha. O valor arrecadado cobrirá os custos da produção do doc sobre a história da primeira mulher a receber o Lenço Branco, maior honraria da Capoeira Regional

A vida da capoeirista Cleonice Damasceno Silva, mulher negra, mãe, trabalhadora e mantenedora de um grande legado cultural tem inegável valor histórico, social e cultural para a Bahia e para o mundo. 

Portanto, Mestra Preguiça, que é discípula de Mestre Nenel, formada  na Filhos de Bimba Escola de Capoeira, será protagonista do documentário "Preguiça é história: a trajetória de uma mestra".

Para a produção audiovisual ser realizada, o coletivo idealizador do projeto, formado por profissionais de diferentes áreas do conhecimento e regiões do país, também capoeiristas, irão lançar a Campanha "Preguiça é História" de financiamento coletivo para cobrir todos os custos da pré-produção e produção  do documentário.

A meta de arrecadação é de R$110.000,00 (cento e dez mil reais) e as doações poderão ser feitas a partir desta segunda (23) e precisa ser batida até o dia 23 de julho, através da plataforma Vakinha: www.linktr.ee/docmestrapreguica.

O valor será utilizado para cobrir os custos de prestadores de serviço, produção, captação e edição do documentário. As contribuições podem de qualquer valor a partir de R$25. As formas de pagamento são Pix, cartão de crédito ou boleto. As pessoas que fizerem doação acima de R$100, terão como recompensa uma vaga para (o/um) aulão especial com a Mestra Preguiça.

Nascida no Nordeste da Amaralina, em Salvador, onde mora até hoje, Mestra Preguiça (46 anos), inicia sua história na capoeira quando criança na década de 1980. 

Sua história se concretiza em uma trajetória de ancestralidade viva, marcada pela força feminina, pela ocupação de diversos lugares e diversas funções no universo predominantemente masculino da capoeira na Bahia, no Brasil e no mundo. 

A partir de seus estudos, trabalho e dedicação, a Mestra Preguiça formou-se em Capoeira Regional e concluiu processos de especialização na Filhos de Bimba Escola de Capoeira. Há mais de três décadas desenvolve diversas atividades relacionadas à capoeira no Brasil, nos  EUA e diversos países da Europa. 

Mestra Preguiça é  referência, símbolo de movimento, luta, originalidade, vanguardismo, coragem, resistência da mulher preta, fonte de conhecimento e preservação do Legado do Bimba.

Com presença reconhecida no mundo da capoeira, a Mestra é um exemplo que potencializa e multiplica caminhos de entrada e permanência de muitas mulheres na capoeira, lugar que historicamente tem protagonismo masculino.  

O documentário que recebe o nome de "Preguiça é história: a trajetória de uma mestra" foi idealizado por Silvonilson Souza Santos (Biriba).

A organização, pesquisa, pré-produção e produção estão sendo realizadas pelo coletivo de diversos profissionais, também capoeiristas, formado por Christine Zonzon; Claudia Prestes (Tropicana); Cleonice Damasceno Silva (Mestra Preguiça); Juliana Costa Santos Dias (Caneta); Manoel Nascimento Machado (Mestre Nenel); Matheus Araújo dos Santos (Calango); Renata Fonseca (Coração) e Rodrigo Tanze Brancaleão (Pavaroti). 

Todas as etapas do documentário foram construídas com a participação e predominância das vozes e perspectivas femininas, marcando assim a presença e o valor da mulher na capoeira, a partir da história de uma mulher negra.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas