'Minha avó teve duas festas de aniversário no mesmo ano por causa de brigas políticas'

bahia
15.11.2020, 11:59:00
Atualizado: 15.11.2020, 12:11:26

'Minha avó teve duas festas de aniversário no mesmo ano por causa de brigas políticas'

“Em 2020, os 11 filhos vivos de Dona Lourinha votam em três candidatos diferentes. Aliás, um deles quer ser vice-prefeito"

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A chegada das eleições municipais sempre pode ser um motivo de dor de cabeça na minha família. Em 2016, ano em que Ribeira do Amparo, nordeste da Bahia, estava polarizada entre dois candidatos a prefeito – a saber, Teti Britto (PSD) e Germano Santana (PT) -, chegamos no ápice de realizar duas festas de aniversário para a matriarca da família. Era isso ou a comemoração dos 81 anos de vovó Lourinha ia terminar em briga.  

É que de seus 12 filhos vivos na época, seis votaram no candidato do Partido dos Trabalhadores, que levou a eleição. Outros cinco votaram em Teti Britto, que era a atual prefeita. Um último mora na cidade vizinha e, por Ribeira do Amparo não ser seu domicilio eleitoral, pôde participar das duas festas.  

Bom, você pode me dizer que ganhar duas comemorações de aniversário é algo positivo e eu até concordo contigo. Mas tente se colocar no lugar da minha avó. “Eu não gosto de política. Olha como ela divide a família”, dizia na época e diz até hoje.  

Desde 2004, quando passei a acompanhar as eleições municipais de perto, vi a família ‘rachando’ de quatro em quatro anos. Reunir os 12 irmãos nas comemorações familiares, principalmente em ano eleitoral, não era alternativa fácil. Sempre havia alguém que não ia, pois não falava ou não queria cruzar com o outro, de opinião política diferente.  

Ok, justiça seja feita. Em setembro desse ano, um dos 12 filhos da minha avó morreu. Não sei se foi o ‘poder de união da morte’ ou uma consciência democrática que ‘baixou’ na família, mas as brigas cessaram. Não a polarização. Em 2020, os 11 filhos vivos de vovó votarão em três candidatos diferentes. Aliás, um deles quer ser vice-prefeito.  

É Josivaldo Ferreira da Silva, o Jorge da Saúde (PC do B), que concorre na chapa de terceira via encabeçada pela Professora Daiane, do mesmo partido. No entanto, tio Jorge só terá o voto declarado de um dos irmãos. Outros três votam em Germano Santana (PT), que tenta a reeleição, enquanto cinco restantes votam em Teti Britto (PSD), ex-prefeita que concorre pela terceira vez seguida na cidade.  

Leia mais: Eleições municipais racham famílias no interior: ‘seis votos para três candidatos a prefeito’

E nesse emaranhado de possibilidades eleitorais e opiniões políticas, eu nem posso declarar meu voto, pois sou jornalista e dizem que não pega bem para o meu ideal profissional. O jeito é se apegar ao Mistério do Planeta, que eu uso como jingle político. “Vou mostrando como sou e vou sendo como posso, jogando meu corpo no mundo, andando por todos os cantos...” Obrigado, Novos Baianos!  

(Se me permite dar-te um conselho, jamais brigue com alguém por causa de política, principalmente se esse alguém for seu parente. Ame sua família e não espere que o outro se adeque a sua forma de pensar. Ter opiniões políticas diversas é bom e a democracia agradece).   

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas