Minissérie 'Auto da Compadecida', que deu origem ao filme, será reprisada na Globo

em alta
27.11.2019, 16:31:00
Atualizado: 27.11.2019, 16:32:08
(Foto: Reprodução)

Minissérie 'Auto da Compadecida', que deu origem ao filme, será reprisada na Globo

Obra exibida uma única vez em 1999 tem quatro episódios e 1 hora a mais do que o filme

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em comemoração aos 20 anos da primeira e única exibição na televisão aberta, a TV Globo vai reapresentar a minissérie “Auto da Compadecida”. A história de João Grilo e Chicó entre o céu, o sertão e o inferno foi ao ar entre 5 e 8 de janeiro de 1999 e da junção dos episódios foi derivado o filme, lançado no ano seguinte. A apresentação seriada da produção traz uma diversidade de novas cenas. O filme tem 1 hora e 44 minutos, enquanto a série, composta de quatro episódios de 45 minutos, chega a 3 horas.

Os episódios voltarão remasterizados e algumas cenas vão receber nova identidade visual, como a sequência em que os amigos João Grilo e Chicó, respectivamente interpretados por Matheus Nachtergaele e Selton Mello, pelejam pela vida junto a Jesus Cristo (Maurício Gonçalves), a Virgem Maria (Fernanda Montenegro) e o Diabo (Luís Melo).

O retorno foi comemorado pela atriz Virgínia Cavendish, que interpretou Dona Rosinha, esposa de Chicó. Em postagem no Instagram, a intérprete publicou uma foto dos bastidores das gravações e afirmou que a reexibição seria em dezembro. Posteriormente, o colunista Flávio Ricco do portal UOL apontou que a emissora decidiu como data de reestreia o dia 7 de janeiro de 2020, logo após a novela “Amor de Mãe”.

A obra inspirada no texto teatral homônimo do dramaturgo paraibano Ariano Suassuna foi adaptada por Guel Arraes, responsável na década seguinte por obras como “Lisbela e o Prisioneiro” e “O Bem-Amado”. O enredo acompanha as desventuras dos dois amigos para sobreviver em um Nordeste severo, mas bem-humorado, onde a fé e a paixão descabida dividem o sertão com a superstição e o cangaço. Grilo e Chicó atravessam a região sobrevivendo de pequenos golpes, até que seu caminho cruza com o impiedoso cangaceiro Severino de Aracaju (Marco Nanini).

À época do lançamento, no ano 2000, o filme foi a segunda melhor bilheteria do País nos cinemas. Hoje, figura como a centésima produção nacional mais assistida, com mais de 2 milhões de espectadores, segundo levantamento do site especializado Filme B.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas