Mobilidade e desenvolvimento

artigo
28.09.2021, 05:21:00
Atualizado: 28.09.2021, 06:19:10

Mobilidade e desenvolvimento

Desde que o samba é samba que o mestre Cartola dizia “deixe-me ir, preciso andar”. A mobilidade é um tema transversal, que mexe tanto com a poesia como com o planejamento urbano das grandes cidades. Salvador e sua Região Metropolitana, naturalmente, estão neste contexto e o Metrô é um modal estruturante quando falamos sobre a necessidade das pessoas se deslocarem com segurança, velocidade e conforto.

O Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas se expandiu rapidamente desde 2014 e já é o terceiro maior do Brasil, com 33 km de linhas, transportando centenas de milhares de pessoas por dia. A Soterópolis passa por um momento de grande transformação no sistema público de transporte, com a integração de novos modais como o BRT e o VLT do Subúrbio. Nesse contexto, o Metrô assume um papel ainda mais relevante como um meio de transporte estruturante, que conecta todos os modais, interligando as regiões das cidades. Esse protagonismo irá se expandir em 2022 com a inauguração, pelo Governo do Estado, de duas novas estações da Linha 1, levando os trens para as regiões de Campinas de Pirajá, Águas Claras e Cajazeiras, onde vivem mais de 200 mil pessoas. São pessoas que poderão se deslocar mais rapidamente pela cidade, abrindo novas possibilidades de trabalho, estudos e lazer.

A expectativa é que a expansão alcance novos bairros de Salvador, como Campo Grande e Barra, além de avançar para o centro de Lauro de Freitas.

A perspectiva de melhora no cenário da pandemia aquece a retomada gradual da economia no momento em que o país enfrenta a alta no preço dos combustíveis. O transporte público é a alternativa mais viável para reduzir os impactos desse aumento na vida das pessoas. O Metrô é uma alternativa de deslocamento segura, confiável e assertiva em relação às medidas de prevenção da covid-19. Não há outra comparação a ser feita neste momento se considerarmos que uma passagem, que permite uso integrado do Metrô e do ônibus, custa menos do que um litro do combustível que utilizamos nos veículos particulares. Deixar o carro em casa é uma solução para o bolso e para o meio ambiente, uma vez que o transporte sobre trilhos contribui para a redução da emissão de gases de efeito estufa, que prejudicam a saúde do planeta.

Setembro é o mês da Mobilidade. E nós, da CCR e da CCR Metrô Bahia, compreendemos essa palavra no seu sentido mais amplo. Trabalhamos para permitir que as regiões metropolitanas do país, como Salvador, reorganizem os seus deslocamentos, contribuindo para impulsionar o desenvolvimento. Aqui, somos mais de 2.500 pessoas trabalhando direta ou indiretamente, 140 empreendedores e empreendedoras espalhadas pelos Terminais e Estações. Gente que vai e vem, com a certeza de que mover-se é essência humana e que, tão importante quanto saber ir, é como você vai.

André Costa é presidente da CCR Metrô Bahia

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas