Modelo acusa senador de dopá-la e estuprá-la em São Paulo

em alta
23.11.2020, 17:21:03
Atualizado: 23.11.2020, 17:30:55
Irajá Silvestre é senador pelo PSD do Tocantins (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Modelo acusa senador de dopá-la e estuprá-la em São Paulo

Filho da também senadora Kátia Abreu, Irajá Silvestre nega as acusações

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma modelo de 22 anos registrou um boletim de ocorrência na madrugada desta segunda-feira (23), em São Paulo, no qual acusa o senador Irajá Silvestre (PSD-TO) de estupro. O parlamentar é filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO).

Segundo informações da CNN Brasil, a denunciante, que pediu para não ser identificada, contou que teria conhecido Irajá durante um almoço com um grupo de amigas, no domingo (22), no Jockey Club.

Ela diz que o acompanhou à casa noturna Café de La Musique com um outro amigo dele, foi dopada, perdeu a consciência e acordou em um flat, no Itaim Bibi, já sendo abusada pelo parlamentar.  

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima teria acordado com o investigado em cima dela, a penetrando sem preservativo, e dizendo frases como: “agora, você é minha” e “estou apaixonado".

Ela relatou à polícia que ficou com medo de apanhar e, por isso, não resistiu ao abuso, mas que pedia insistentemente para ir ao banheiro e tomar água, e que ele não deixava. Quando conseguiu ir ao banheiro, segundo ela conta, após dizer que estava passando mal, se trancou e começou a pedir socorro.

A vítima passou por exames em um hospital da capital paulista. A polícia já trabalha na busca por imagens de câmeras de segurança da casa noturna e do hotel. O quarto onde teria ocorrido o suposto crime foi preservado para realização de perícia.

Outro lado
Em nota, o senador afirmou que recebeu com "tristeza" a denúncia "caluniosa". Além disso, disse que se colocou à disposição das investigações. "Foi com surpresa, decepção, tristeza e indignação que tomei conhecimento do episódio infame, maldoso e traiçoeiro envolvendo a minha vida e minha dignidade".

"Ressalto que compareci espontaneamente à delegacia responsável pela apuração dos fatos e pedi para ser submetido, voluntariamente, a exame de corpo de delito e toxicológico, tudo para desmistificar o quanto aleivosamente alegado", completou o parlamentar. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas