Moradores de Salvador também relatam tremor: 'balançou tudo aqui em casa'

salvador
30.08.2020, 10:15:00
Atualizado: 30.08.2020, 13:13:51
(Arquivo CORREIO)

Moradores de Salvador também relatam tremor: 'balançou tudo aqui em casa'

Há relatos de quem mora na Lapinha, Garcia e Barris

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Salvador não passou ilesa pelo tremor que afetou as cidades baianas na manhã deste domingo (30). Moradores de alguns bairros da capital baiana também relataram ter sentido o abalo por volta das 7h30.

Moradora do Garcia, a aposentada Marlene Cruz disse que assistia televisão quando percebeu o que ocorreu e chegou a se desequilibrar. "Tremeu aqui também. Como estava levantando na hora, me assustei e me segurei pra não cair, porque fiquei nervosa. Foi rápido, mas forte, porque a xícara ficou balançando no pires", garante.

O mesmo foi relatado pela costureira Selma Pereira Costa, moradora da Lapinha. "Eu estava assistindo Globo Rural com meu esposo quando sentimos o sofá tremendo. Meu filho estava deitado no quarto e sentiu a cama tremendo, além de um estrondo no telhado, como se estivesse balançando. Um objeto também caiu aqui da estante", detalha.

A vizinha, Rosa Maria Carvalho, também ficou surpresa. "Eu senti uma pressão forte na janela como se estivesse sendo forçada pelo vento, mas de forma contínua, parecia que ia cair. O sofá também tremeu, eu e meu filho sentimos", conta.

Nos Barris teve quem relatasse um balanço. "Eu senti um negócio estranho, parecendo quando você fica em pé e o chão anda, meio sacolejando. Foi um negócio rápido, não achei tão forte, mas nítido", disse a estudante Fabiana Andrade.

O tremor não atingiu apenas essa região da capital baiana. Há também registros feitos por moradores da Avenida Paralela. "Aqui não foi nada demais. Eu já estava acordada por volta das 7h10, porém deitada, e, do nada, senti minha cama tremer. Achei que fosse algo com o ar-condicionado e desliguei", conta Marina Espinheira, moradora do bairro.

No Cabula, o negócio foi mais sério. "Parecia que a janela estava mexendo, a sensação foi de tontura. Também ouvi umas pancadas, como se alguém tivesse dado um murro na parede. Não sei se foi algo que balançou. Eu também olhei pro chaveiro e vi balançando, pensei que estava ficando maluca ou tava passando mal. Depois levantei e fui olhar o Twitter, o povo comentando a sensação ruim. Foi coisa de 10 a 20 segundos", relata a secretária Jilmara Santos, 38.

Já em Cajazeiras, teve gente que relatou "Eu estava deitada e senti a cam abalançar como se tivesse alguém empurrando a cama. Eu levantei e fiquei sentada, com medo de ser alguma coisa que estava acontecendo na casa, um desabamento, e era como se estivesse passando um caminhão, um carro pesado, mas moro numa rua só de pedestres. Aqui em casa não chegou a derrubar nada", conta Lorena Cerqueira.

Às 12h, a Defesa Civil de Salvador (Codesal) informou que registrou queixas de tremor de terra em Pernambués, Cabula VI, Mata Escura, Caixa D'Água, Itapuã, Trobogy, Engenho Velho da Federação, Ondina, Garcia, Brotas, Cajazeiras, Imbuí e Ribeira. Não houve nenhum tipo de dano material causado e ninguém se feriu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas