Moradores do Alto do Cabrito recebem geomanta nova

salvador
24.08.2020, 11:28:00
Atualizado: 24.08.2020, 13:55:15

Moradores do Alto do Cabrito recebem geomanta nova

Estrutura é uma das maiores da cidade e vai beneficiar quase 600 famílias

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma nova geomanta foi entregue no bairro do Alto do Cabrito, na manhã desta segunda-feira (24) e, segundo o município, ela é uma das maiores estruturas desse tipo na cidade. Pelos menos 590 famílias que moram na região serão beneficiadas pela obra da Defesa Civil de Salvador.

O investimento foi de R$ 495,9 mil para implantar a tecnologia na encosta, que possui a extensão de 3.584,18 metros quadrados. Desde 2016, a Prefeitura aplicou 118 mil metros quadrados de geomantas na cidade, com investimento superior a R$17 milhões. Segundo o município, essa intervenções já beneficiaram mais de 7.600 famílias.

Durante a inauguração, o prefeito ACM Neto destacou que 2020 está sendo um dos anos mais chuvosos em Salvador e que mesmo em meio à pandemia não houve descuido com as ações de proteção às áreas de risco. "Exatamente o motivo que estamos aqui inaugurando mais uma encosta totalmente protegida", disse. "As imagens podem mostrar a dimensão dessa obra que foi feita aqui no Alto do Cabrito.São 3.500m² de encosta protegida pela solução de geomanta aqui".

Ele lembrou que Salvador teve um processo de ocupação desordenado durante seu desenvolvimento. "Fomos presenciando muitas famílias chegaram aqui na nossa capital e ocuparem espaços urbanos. Por uma questão de necessidade de ter seu próprio chão, de arranjar um teto para seus filhos, essas famílias foram se instalando em áreas infelizmente inadequadas", afirmou o prefeito.

Diretor da Defesa Civil (Codesal), Sosthenes Macedo destacou a importância da obra. "É pensar que as pessoas dormem em paz. Num período como esse de chuvas, como esse ano específico de 2020, mais chuvoso dos últimos 36 anos", afirmou. "Isso tudo confere uma segurança, um temor a menos para essas populações que vivem nas pistas das encostas"

Sosthenes disse que Salvador viveu esse momento de muitas chuvas relativamente bem. "Tivemos episódios com problemas, mas em pensar que não tivemos tragédias tais como ocorreu no passado é algo muito satisfatório, sobretudo para nós da Codesal, que nos deburaçamos durante todo ano para conferir segurança a essas pessoas que moram na área de risco".

Nascido e criado na região, um morador conta como era a situação. "Complicado, descia o barranco, a gente não conseguia dormir, ficava em casa preocupado", conta. Em 2015, o deslizamento chegou à porta da casa dele. "Antes de entrar tive que limpar a frente toda para ter acesso à casa". 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas