Morte de militar é a terceira em dia de protestos violentos na Venezuela

mundo
20.04.2017, 08:49:00

Morte de militar é a terceira em dia de protestos violentos na Venezuela

Alguns dos protestos desta quarta (19) terminaram em violência e com a morte de duas pessoas, uma em Caracas e outra em Táchira

O defensor do Povo da Venezuela, Tarek William Saab, informou nessa quarta-feira (19) que um militar morreu durante protesto violento na cidade de San Antonio de los Altos, no estado de Miranda, perto de Caracas, capital venezuelana. A informação é da "Agência EFE".

Segundo Saab, o segundo-sargento da Guarda Nacional Bolivariana (GNB, a polícia militarizada) Neomar San Clemente Barrios foi assassinado por um franco atirador no município de Los Salias. Além disso, no mesmo local, o coronel Juan Carlos Arias foi baleado, mas ainda não foram divulgados detalhes sobre o caso.

Alguns dos protestos desta quarta (19) terminaram em violência e com a morte de duas pessoas, uma em Caracas e outra em Táchira (Foto: Ronaldo Schemidt/AFP)

"Esses distúrbios ocorreram no local desde o início da manhã, sob repúdio dos moradores da região", afirmou Saab em sua conta no Twitter.

O primeiro vice-presidente do Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV), Diosdado Cabello, um dos homens mais influentes do chavismo, comentou os fatos em seu programa semanal na televisão estatal e responsabilizou o governador de Miranda e ex-candidato à presidência, Henrique Capriles.

"Acabam de assassinar um guarda nacional. Capriles e seu grupo de assassinos", disse Cabello, assegurando que o crime não ficará impune.

Alguns dos protestos dessa quarta-feira, convocados pela opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), terminaram em violência e com a morte de duas pessoas, uma em Caracas e outra em Táchira.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas