Música do Carnaval: como a ideia nasceu e imortalizou hinos da folia

correio afro
28.02.2022, 06:00:00
(divulgação)

Música do Carnaval: como a ideia nasceu e imortalizou hinos da folia

Conheça as campeãs da avenida e vote no Troféu CORREIO Folia 2022

Márcio Victor tornou a frase célebre, mas a realidade é que a busca para ser dono da música do Carnaval é uma história que vem de outros carnavais - com o perdão do trocadilho.  O trio elétrico ganhou voz em 1975, com Moraes Moreira cantando no trio de Dodô & Osmar. Mas, a competitividade para ter o som mais marcante da folia veio  duas décadas depois, embalada principalmente pela popularização e profissionalização da axé music.

O primeiro prêmio a eleger a música do Carnaval que se tem notícia é o Troféu Dodô & Osmar, promovido pelo grupo A Tarde em 1992 e vencido, naquela ocasião, pela Banda Mel com o clássico Baianidade Nagô, música de Evandro Rodrigues. Dois anos mais tarde, a Rede Bahia lançava sua própria premiação: o Troféu Bahia Folia, que estreou consagrando Requebra,  do Olodum, escrita por Nego e Pierre Onassis.

Ainda dá tempo: vote no Troféu CORREIO Folia 2022

A premiação mais recente é o Troféu CORREIO Folia, que acontece novamente sem a festa na rua e ainda assim firme e forte. Nesta edição 2022, são 26 músicas concorrentes de artistas locais e nacionais. A votação ainda está aberta no site do jornal e o resultado será divulgado nesta terça. Para selecionar as músicas concorrentes, o colunista Osmar Marrom Martins contou com ajuda de alguns colegas da redação. Entre as candidatas estão Terra Aféfé, de Margareth Menezes e Carlinhos Brown; As Rendas do Mar, de Daniela Mercury;  Vai dar Praia, de Lincoln e Léo Santana; Arrochadinha, de Tayrone; Mexe a Cabeça, de Ivete e Brown, e Papo Proibido, do Psirico e Diretoria. 

Historiador e pesquisador de Carnaval, Marcelo Souza afirma que essas premiações têm um valor de memória muito grande e também conseguem dimensionar o tamanho de cada fenômeno que passou pela folia. O fato de Requebra, por exemplo, vencer os dois troféus existentes à época dá noção do quanto foi importante naquele ano.

“É bacana observar os resultados e ver como em alguns carnavais há unanimidades. De 1994 até 1998, esses dois troféus premiaram as mesmas músicas, até que, em 1998, o Dodô & Osmar premiou A Latinha, da Timbalada, e o Bahia Folia elegeu Juliana, do Bom Balanço. E realmente as duas eram tocadas em todos os canto,”, lembra Souza.

Co-criador do bloco Eva e ex-diretor de marketing da Rede Bahia, Maurício Magalhães foi um dos fundadores do Troféu Bahia Folia e afirma que a premiação da música do Carnaval sempre existiu de maneira informal, mas a partir do momento em que a festa passou a ter uma estrutura definida com cadeia produtiva, isso passou a ser capitalizado.

Ele diz que a premiação também serve de fomento para a cadeia da economia criativa porque movimenta compositores, bandas, empresários e afins:

“Esse tipo de troféu dá uma projeção para o artista no restante do ano”, revela Maurício.

Pela força do público
Xará e ex-colega de trabalho de Magalhães, o diretor de rádios da Rede Bahia, Maurício Habib, diz que as músicas sequer precisavam ser lançadas no mesmo ano para que fizessem sucesso. Tudo dependia do público. Um bom exemplo é Dandalunda, música escrita por Carlinhos Brown e interpretada por Margareth Menezes, lançada em 2001, mas que só foi virar um sucesso nas ruas em 2003.

“A música do Carnaval passa por uma soma de fatores. Os trabalhos de bastidores de quem produz a banda ou o artista, mas, sobretudo, a recepção do público - que acaba sendo determinante e é quem de fato vai imortalizar as canções”, explica Habib.

Primeira vencedora do Troféu Bahia Folia, Requebra é prova viva disso. Foi uma música que nasceu nos ensaios do Olodum. Para não terminar de forma abrupta e aguardar as pessoas saírem numa boa, Zé Carlos Conceição Nascimento, o Nêgo, baixava o som dos tambores e brincava cantando “embaixo, embaixo, embaixo; em cima, em cima, em cima”. Um jovem Pierre Onassis ouviu aquilo e disse que dava música. 

A história é lembrada pela jornalista Wanda Chase. Dois meses depois, a música estava pronta e não demorou a ganhar a boca do povo - que, agora, saía dos ensaios para os ônibus batucando e cantando o refrão que foi hit em 1994 e até hoje é um hino.

“A música ganhou o mundo, é um clássico do Carnaval  e da música baiana. Não tem show do Olodum que não toque Requebra. O Brasil todo requebrou”, conta Wanda.

O Troféu Bahia Folia comemora 28 anos neste Carnaval. Nesse tempo, Ivete Sangalo e o Psirico são os grandes vencedores, com 4 títulos cada. Ivete levou o troféu ano passado, mesmo sem Carnaval, com a música Tá Solteira, Mas Não Tá Sozinha, em parceria com o Harmonia do Samba  - a dupla venceu também o Troféu CORREIO Folia 2021. Timbalada, Parangolé (uma com Léo Santana e outra com Tony Salles) e Chiclete com Banana (ambas com Bell Marques) venceram duas vezes.

Pelo segundo ano consecutivo, os circuitos de rua de Salvador estarão vazios. Mas isso não quer dizer que não haverá música para animar a folia de 2022 em casa. Artistas baianos e "de fora" lançaram hits que seriam fortes candidatas a "Música do Carnaval", como diria Márcio Victor. 

Por isso o CORREIO decidiu entregar o tradicional prêmio "Troféu Correio Folia 2022" mesmo sem a folia momesca. Em 2021, a vencedora foi  Tá solteira mas não tá sozinha' (Ivete Sangalo e Harmonia do Samba) foi eleita a música do Carnaval 2021.

CONHEÇA O CORREIO AFRO

O CORREIO definiu algumas candidatas, com curadoria assinada por Osmar Marrom Martins e outros jornalistas da redação com base nas músicas lançadas e mais tocadas nesse Verão. Agora, você irá escolher qual a melhor música para curtir mais um Carnaval 'dendicasa'.

O resultado será divulgado na próxima terça-feira (1), às 12h. Clique neste link e deixe seu voto!

O Correio Folia tem patrocínio da Goob e apoio da AJL, Jotagê Engenharia e Comdados.

Troféu Bahia Folia

1994 - Requebra (Olodum)
1995 - Araktu é Bom Demais (Araketu)
1996 - Margarida Perfumada (Timbalada)
1997 - Rapunzel (Daniela Mercury)
1998 - Latinha (Timbalada)
1999 - Juliana (Bom Balanço)
2000 - Cabelo Raspadinho (Chiclete com Banana)
2001 - Uma Bomba (Braga Boys)
2002 - Festa (Ivete Sangalo)
2003 - Voa Voa (Chiclete com Banana)
2004 - Maimbê Dandá (Daniela Mercury)
2005 - Coração (Rapazolla)
2006 - Café com Pão (Vixe Mainha)
2007 - Quebra Aê (Asa de Águia)
2008 - Mulher Brasileira, Toda Boa (Psirico)
2009 - Cadê Dalila (Ivete Sangalo)
2010 - Rebolation (Parangolé)
2011 - Liga da Justiça (LevaNóiz)
2012 - Circulou (Banda Eva)
2013 - Ziguiriguidum (Filhos de Jorge)
2014 - Lepo Lepo (Psirico)
2015 - Xenhenhem (Psirico)
2016 - Paredão Metralhadora (A Vingadora)
2017 - Santinha (Léo Santana)
2018 - Elas gostam (Attoxxa/Psirico)
2019 - Abaixa que é tiro (Parangolé)
2020 - O Mundo Vai (Ivete Sangalo)
2021 - Tá Solteira, Mas Não Tá Sozinha (Ivete Sangalo e Harmonia do Samba) | A música saiu vencedora também do Trofeiu CORREIO Folia  

O Correio Folia tem patrocínio da Goob e apoio da AJL, Jotagê Engenharia e Comdados.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas