Não tem nenhum menino: Agnaldo Liz analisa sub-23 do Vitória

e.c. vitória
15.01.2020, 21:40:02
Atualizado: 15.01.2020, 22:00:01
Técnico diz que história do Leão o coloca como favorito ao título (Letícia Martins / EC Vitória)

Não tem nenhum menino: Agnaldo Liz analisa sub-23 do Vitória

Técnico diz que garotos serão cobrados como profissionais no Baianão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após vencer o jogo-treino contra o Jacuipense por 3x1 nesta quarta-feira (15), o técnico Agnaldo Liz conversou com a imprensa e analisou o trabalho do sub-23, que representará o Vitória no Baiano. A estreia é no dia 22, contra o Jacobina, no Barradão.

>> Quem é quem no time sub-23 do Vitória? Conheça dos 30 jogadores

Como avalia o jogo-treino com o Jacuipense?

Era um jogo-treino para dar sequência à nossa programação. Usamos a 'equipe a' por um pouco mais de tempo com o objetivo de observá-los dentro do que a gente trabalhou nos treinamentos. Nossas linhas, nossa saída de jogo começando de trás. Infiltrações do meio para o ataque. Tudo isso nós conseguimos realizar. Foi um bom teste por ser um adversário que vem treinando há mais tempo.

Sua equipe é jovem e enfrentará no Baianão times de veteranos. Isso te preocupa?

Trago um dizer do Felipão: “menino que já faz menino não é mais menino”. Eles vão participar de um campeonato de profissionais e eles já têm contratos de profissionais. É bom que tenham essa oportunidade e precisam encarar como uma chance única na vida, de disputar o Baiano num grande clube que está em reconstrução.

Mesmo com um time sub-23, o Vitória é favorito?

A grandeza e a história do clube falam por si só. Respeitamos as equipes adversárias, que fazem grande trabalho, mas entramos para decidir o título. Não sabemos contra quem será, mas vamos estar lá. A cada dia vamos nos fortalecer enquanto equipe e vamos buscar a classificação. E aí, passo a passo, com respeito, chegar à decisão. Temos que pensar dessa forma.

A zaga ainda é um setor frágil do seu time. Busca um reforço para essa posição?

A conversa com a direção é neste sentido, de trazer mais um atleta para compor o nosso elenco (no setor). Nas demais posições estamos satisfeitos com os atletas que estão compondo o elenco.

Nickson terminou 2019 afastado após más atuações na Série B, mas será seu camisa 10 no estadual. Como pretende recuperá-lo?

É um atleta que está com muita vontade de reverter um quadro que deixou escapar. Ele sabe que já poderia estar em outro patamar. Vai descer para nos ajudar, mas isso não é demérito nenhum. Será um passo atrás para subir melhor lá na frente. Ele será uma referência para os outros meninos por ter experiência no time principal. Ele está consciente desse momento dele.

Como faz para conhecer tantos atletas em pouco tempo?

Todos os atletas foram previamente analisados pela comissão. Fiquei aqui um mês em dezembro fazendo esse trabalho de conhecimento, observando vídeos, colhendo as informações do nosso analista e do preparador físico. Ter essas informações torna mais fácil o trabalho.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas