'Nosso grupo não tem safadeza', diz Gregore após nova derrota

e.c. bahia
24.11.2019, 18:32:00
Atualizado: 24.11.2019, 19:53:49
Rafael Moura faz o primeiro gol do Goiás contra o Bahia (Marcos Souza/Estadão Conteúdo)

'Nosso grupo não tem safadeza', diz Gregore após nova derrota

Tricolor caiu diante do Goiás e não vence na Série A há oito rodadas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O jejum do Bahia no Campeonato Brasileiro foi ampliado. Na tarde deste domingo (24), o tricolor foi superado pelo Goiás, por 4x3, no estádio Serra Dourada, completou o seu oitavo jogo sem vitória e foi ultrapassado pelo próprio alviverde na tabela de classificação. 

Ao fim do duelo, os jogadores lamentaram mais um revés no campeonato. O volante Gregore desabafou explicando que o time tem feito as coisas da maneira certa, mas não tem encontrado o caminho dos triunfos. 

"Não tem muito o que falar. Nosso time tem um grupo de trabalhadores, não tem safadeza, trairagem. Criamos bastante, mas tomamos quatro gols e temos que ajeitar para quarta-feira", disse o volante, referindo-se ao confronto com o Atlético-MG, próximo adversário, na Fonte Nova.

"Não tem como explicar (a queda de rendimento). É agradecer o apoio de quem apoia, arrumar as coisas e voltar a vencer. Às vezes não tem que ficar falando muito", continuou Gregore.

Outra referência do elenco tricolor, o goleiro Douglas também falou sobre o momento de crise que a equipe vive. Foi a primeira vez que o Bahia levou quatro gols na atual edição do Brasileirão. Para ele, o time precisa estar mais concentrado.

"A gente foi capaz de fazer três gols fora de casa, mas sofremos quatro. Não tivemos regularidade dentro da partida e isso tem dificultado os nossos triunfos nas últimas rodadas. Temos que ter a consciência de que temos que ser efetivos na frente como fomos hoje, mas não podemos ser tão vazados lá atrás", analisou o goleiro. 

"A gente está muito incomodado com o momento, com os quatro gols sofridos. Construímos tudo na partida coletivamente, é um momento difícil e temos que mostrar nesse momento o quanto somos profissionais, somos homens e capazes de aguentar tudo que é colocado, a camisa, a torcida do Bahia. Temos que reagir para voltar a ser um time competitivo, que é o que está nos faltando nas últimas rodadas", explicou Douglas.

Faltando apenas mais quatro jogos para o fim do Brasileirão, o Bahia volta as atenções agora para o duelo contra o Atlético-MG, na quarta-feira (27), às 21h30, na Fonte Nova. O tricolor soma 44 pontos e atualmente ocupa a 10ª colocação. Depois, enfrentará CSA (fora), Vasco (casa) e Fortaleza (fora).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas