Nova orla agrada a quem trabalha e mora em Stella Maris

salvador
11.04.2022, 15:40:00
(Foto: Ana Lúcia Albuquerque/CORREIO)

Nova orla agrada a quem trabalha e mora em Stella Maris

A requalificação custou R$15,2 milhões da Prefeitura e envolveu 1,2km de extensão

O sorriso de ponta a ponta debruçado sobre o peitoril pastilhado e de mármore do novo local de trabalho. "É tanta felicidade. Foi um presente de Deus", declarou o baiano de acarajé Fernando Corcino, 35 anos, após receber a permissão para vender seus quitutes em um dos quiosques concedidos pela Prefeitura de Salvador no bairro de Stella Maris. Na manhã desta segunda-feira (11), aconteceu a entrega da 1ª etapa da requalificação da orla do bairro. 

Este é o 29º trecho de orla já requalificado pela administração municipal desde 2013. “Em Stella Maris ficou belíssima a obra e, sem sombra de dúvidas, melhorou muito a vida das pessoas que moram aqui. Além de já estar atraindo milhares de visitantes e turistas. Toda essa estratégia de requalificação dos trechos de orla objetiva potencializar ainda mais um dos nossos principais ativos que é o turismo de sol e praia”, declarou o prefeito de Salvador  Bruno Reis.

A obra acrescentou também dignidade aos tabuleiros das baianas de acarajé de Stella Maris. "Isso aqui estava tudo abandonado. Nem os próprios moradores frequentavam por causa da bagunça, sujeira. Aqui era uma região esquecida. Ninguém queria vir pra cá. A gente que persistiu e, graças a Deus, vamos trabalhar com orgulho do nosso ofício", disse a baiana Jaciara Bispo de Oliveira, 40, que também ganhou um quiosque para vender seus produtos. 

(Foto: Betto Jr./Secom)
(Foto: Betto Jr./Secom)
(Foto: Betto Jr./Secom)

Eleni Ribeiro dos Santos, 38, vende coco na praia há seis anos. Ela foi uma das contempladas com as novas estruturas que vão dar, além de uma qualidade melhor de trabalho para os usuários, maior suporte aos visitantes.  "Trabalhava na areia. Era muito cansativo. Meus pés queimavam. Quando chegava em casa, estava morta. Sem falar que era chato ouvir do cliente que a água de coco estava cheia de areia. Agora ficou perfeito. Na hora de assinar lá o documento com o prefeito, minhas mãos tremiam de tanta felicidade", contou. 

A requalificação trouxe melhorias também para os moradores.  "Antigamente, vinha gente de todos os cantos para cá. Agora, com a ordenação do trânsito já sentimos a diferença. A via que antes era mão-dupla, hoje é única. Não tem mais aquela quantidade de carro espalhado, porque foi reduzido o número de vagas e, para parar carro, tem que pegar para estacionar aos guardadores credenciados pela prefeitura. Isso tudo faz com que os moradores voltem a frequentar a praia de Stella Maris", disse a admistradora de empresas Sheila Ramos, 52. 

A segurança foi um dos pontos positivos apontando pelo empresário Hugo César da Silva dos Santos, 47. Ele e o filho, Heitor Santos, 4, passeavam no calçadão quando foram abordados pela reportagem. "Este lugar estava degradado. Havia muito assalto por aqui. Se durante o dia era perigoso, imagina à noite que não tinha iluminação? Vários flanelinhas praticavam furtos, inclusive de carro. Um amigo meu parou o veículo dele para tomar um banho de mar, quando voltou, não achou mais. O flanelinha tinha levado o carro. Agora, a nossa orla tem vida, tem mais segurança. Um local perfeito para criar meu filho", disse ele. 

Quem mora em Stella Maris dificilmente frequentava a praia, principalmente nos finais de semana, quando os paredões predominavam. Isso porque, onde hoje estão os quiosques, o calçadão, a ciclovia e a pista de skate, por exemplo, era uma faixa extensa de areia onde inúmeros carros ficavam estacionados. "Isso aqui ficava entupido de gente de todos os cantos e abriam as malas dos carros. Os equipamentos de som eram tão potentes que mesmo surfando dava pra ouvir. Era algo absurdo", relatou o engenheiro civil Lucas Barros, 41, que estava ao lado dos amigos, o funcionário público Marcel Moraes Andrade, 29, e o marceneiro Breno Bahia, 32.

Obra 
Com investimento de aproximadamente R$15,2 milhões, esta etapa envolveu 1,2km de extensão entre a Rua Carlos Ott e o início do loteamento Praias do Flamengo - a segunda etapa, trecho entre a Barraca da Pipa, em Stella, até Ipitanga, na divisa com Lauro de Freitas, deve ficar pronta em maio, a depender do clima.

Foram entregues, nesta segunda, novos paisagismo com sistema de irrigação automatizado, iluminação em LED, pavimentação de vias e passeios e rede de drenagem.

Além disso, o local também recebeu ciclovia, calçadão, pista compartilhada, quadra de futebol, quadra de vôlei de areia, espaços de convivência, alamedas de acesso, parque infantil, espaço para piquenique, pista de skate infantil e espaço de apoio aos surfistas, bem como pergolados, bancos, decks e rampas de acesso à praia.

O trecho incluiu ainda a construção de oito quiosques para comercialização de acarajé e água de coco. Esses espaços estão sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) e os termos foram entregues aos permissionários pelo prefeito Bruno Reis, na mesma cerimônia.

Turismo
O processo de recuperação dos trechos de orla de Salvador, iniciado em 2013, faz parte da estratégia da prefeitura de melhorar, entre outros aspectos, o turismo de sol e mar. "Por muito tempo tivemos dificuldades nos trechos de orla e agora estamos recuperando estas áreas que são as mais frequentadas por moradores da cidade e turistas. Esta requalificação melhora o destino turístico e a competitividade da cidade, atraindo, consequentemente, mais visitantes", explicou o secretário de Fábio Mota, que acompanhou a cerimônia de inauguração da obra.

O gestor reforçou também que tornar a região mais atrativa vai colaborar no desenvolvimento econômico da região. “Essa requalificação é importantíssima. É uma obra que melhora a qualidade do destino Salvador e aumenta também a renda e a criação de empregos. A obra não é apenas física, ela impacta ambulantes, baianas, permissionários que vão atuar nos quiosques, considerando também a inclusão social", complementou Mota.

No geral, as obras de Stella Maris a Ipitanga envolvem urbanização, infraestrutura urbana, iluminação pública, equipamentos urbanos, requalificação ambiental e tratamento paisagístico ao longo da área de intervenção. Estão sendo construídos estacionamentos de veículos, quadras de futebol e vôlei de praia, área de skate infantil, espaços de convivência, espaço para yoga, parque infantil e área de apoio ao surfista.

Preservação ambiental
Sob a coordenação da Secult e com projeto elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) em 2015, a requalificação de Stella Maris, que também se estenderá pelas praias do Flamengo e Ipitanga, prevê a mínima interferência na morfologia natural da área. A intenção é garantir a acessibilidade às áreas públicas e às praias, além do respeito ao meio ambiente, a exemplo da manutenção do cordão de dunas e do coqueiral, assim como a recomposição e manutenção da cobertura de restinga.

Durante as obras, houve grande cuidado com a fauna e flora existente. Uma equipe ambiental multidisciplinar (biólogos, veterinário, geógrafa, engenheiros ambientais) atuou de forma comprometida, não somente para atendimento da legislação e condicionantes ambientais, mas para garantir a conservação das espécies que vivem na orla de Stella Maris. Para isso, foram utilizadas metodologias consagradas e boas prática, gerando externalidades como revitalização de ambiente anteriormente antropizados ou até degradados.

As novas luminárias estão de acordo com as orientações do Centro Tamar/ICMBio para a conservação das tartarugas marinhas. Inclusive, a Fundação Projeto Tamar foi contratada para monitoramento de tartarugas e mapeamento da fotopoluição, para verificação da incidência de luz artificial nas praias, de postes antigos e de empreendimentos particulares, que desorientam fêmeas e filhotes na hora de ir para o mar.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas