O plástico como catalisador da produtividade no campo

artigo
07.09.2021, 05:32:00
Atualizado: 07.09.2021, 08:22:16

O plástico como catalisador da produtividade no campo

O agronegócio brasileiro ganha destaque nas pautas econômicas. Mesmo na incerteza da pandemia, o setor foi responsável por um faturamento de quase R$ 2 trilhões em 2020, e viu crescer sua participação de 20,5% para 26,6% no PIB do país entre 2019 e 2020, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Universidade de São Paulo.

 A produção cresce de forma consistente para várias culturas. A colheita de grãos, por exemplo, obteve volumes recordes de 272,3 milhões de toneladas no período 2020/2021, sendo considerada mais uma supersafra, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em informação divulgada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 Os avanços tecnológicos adotados no campo, além de desempenharem um papel importante neste processo de aumento de produtividade, são essenciais para reduzir perdas e maximizar o aproveitamento dos recursos. Hoje, já fazem parte da rotina máquinas que consomem menos combustível e com maior eficiência e tecnologias digitais que permitem o gerenciamento minucioso de cada etapa da produção e otimização dos recursos.

Neste cenário, as soluções em plástico também despontam como aliadas estratégicas do produtor rural. Um exemplo é o silo bolsa para armazenamento de grãos. Produzido pela Pacifil Brasil, com resina da Braskem, o túnel flexível de polietileno (PE) permite estocar grãos por períodos longos, mantendo as características e a qualidade inicial do produto, impedindo o desenvolvimento de pragas e insetos.

Este silo plástico apresenta baixo custo operacional e empodera o produtor, dando a ele a decisão sobre o momento de comercializar a safra, maximizando a rentabilidade do negócio, e sem necessidade de fazer investimentos vultuosos em infraestrutura de armazenagem. Com esses benefícios, a solução ganha espaço no mercado agrícola, aumentando a demanda em 36% em 2020.

As características do plástico – como leveza, durabilidade, maleabilidade e custo baixo – o tornam um material único e com um potencial de melhorar a qualidade de vida das pessoas em vários setores. No entanto, esse consumo deve ser feito de forma consciente e sempre levando em conta os conceitos de economia circular (reutilizar, reaproveitar e reciclar).

A indústria, em especial a cadeia do plástico, investe cada vez mais em inovações em plástico e no compromisso de promover a reciclagem no mundo. A Braskem, por exemplo, está comprometida com o desenvolvimento sustentável, sendo um dos focos a eliminação dos resíduos plásticos. É este esforço de toda a cadeia que vai permitir que a sociedade continue a usufruir dos benefícios do plástico, inclusive no agronegócio, sem agredir o meio ambiente e preservando a segurança para as próximas gerações.

Ana Paiva é  coordenadora de Desenvolvimento de Mercado Agro da Braskem

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas