Oficina de costura cria looks para o Afro Fashion Day reformando uniformes usados

correio afro
13.10.2021, 19:42:00
Atualizado: 18.10.2021, 13:33:17
(Foto: Gabriela Cruz)

Oficina de costura cria looks para o Afro Fashion Day reformando uniformes usados

Cerca de 150 peças foram enviadas para grupo de costureiras e estilistas; 6 looks serão criados

Começou hoje a Oficina do Afro Fashion Day que vai transformar uniformes usados de funcionários do Grupo Boticário em peças que serão utilizadas no Afro Fashion Day deste ano. Cinco estilistas do Afro (Lourrani Bass, Gefferson Vila Nova, Sillas Filgueira, Filipe Dias e Fagner Bispo) coordenam a oficina com costureiras da Cooperativa de Trabalho Constelação das Artes, idealizada e gerida por mulheres do bairro de São Caetano, na periferia de Salvador. 

Curador do AFD, Fagner Bispo explicou que seis peças do desfile do Afro são costuradas nessa ação, utilizando parte do tecido das quase 150 peças enviadas pelo Grupo. A oficina vai até essa quinta-feira (14), quando as peças serão finalizadas pelas 7 costureiras que trabalham. Neste primeiro dia, as peças foram desmontadas e foi pensado o conceito das roupas que serão finalizadas neste último dia.

As peças que chegaram são das mais variadas: 2 pares de sapatos, camisas de diversas cores, alguns blazers, além de calças do tipo sarja e oxford. Fundadora da Cooperativa, Estela Maria Conceição não conhecia o Afro Fashion Day, mas ficou contente por ser apresentada a um evento que tem um conceito bem semelhante ao seu trabalho: o de ressignificar. 

A Constelação das Artes conta com duas costureiras e sete artesãs, que, além das roupas, também fazem uma série de acessórios como mochilas e brindes como bonecas de crochê. O trabalho da cooperativa pode ser conferido no Instagram @constelacao_das_artes. 

“Eu digo que nosso trabalho é uma arte, trabalho com costura desde os 12 anos, quando fiz um curso. De lá pra cá, já trabalhei com várias outras coisas, como manicure, cabelo, mas acabei voltando para a costura porque esse trabalho em cooperativa é algo que sempre quis fazer e hoje estamos realizando. Devagarzinho, mas realizando”, disse Estela.

Estilista na ação, Lourrani Bass também é fundadora da Liga Transforma, que tem seu trabalho guiado na moda sustentável e busca incentivar o empreendedorismo feminino, aproveitando materiais que seriam descartados para dar uma nova vida. Nos últimos 3 meses, a Liga arrecadou mais de 1 tonelada de retalhos para criar peças e acessórios. Fundada em 2018, a Liga já impactou diretamente a vida de 750 mulheres com oficinas, concursos de beleza na periferia e eventos como o Baile das Gordas.

Afro Fashion Day
A ideia do Afro Fashion Day surgiu há seis anos, fruto da imaginação do então diretor-executivo do Jornal CORREIO, Sérgio Costa, falecido em março de 2016. Idealizadora do projeto, Gabriela Cruz aponta que uma das prioridades era fazer o evento um lugar de fácil acesso e aberto ao público. 

O nome de Passarela Mais Negra do Brasil não é  só  'de boca'. O casting do AFD é composto inteiramente por pretas e pretos. Na edição de 2019, foram 64 profissionais desfilando. No ano passado, por conta da pandemia, foi lançado o modelo de inscrição pelo TikTok até chegar ao número final de seis participantes. A queda do número foi para evitar aglomerações, mas, neste ano, haverá uma ampliação e o desfile retorna à rotina do Afro.

O Afro Fashion Day é um projeto do jornal Correio com o patrocínio do Hapvida, apoio do Shopping Barra e apoio institucional do Sebrae.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas