Os deformadores da América

victor uchôa
12.01.2019, 05:00:00

Os deformadores da América


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Conmebol, a gente sabe, é aquela entidade que toma conta do futebol sul-americano e está dominada pela corrupção de cima para baixo, por dentro e por fora. Trocentos dirigentes já foram presos e/ou são investigados, mas obviamente nada mudou.

Daí os sabidos que tocam a confederação, como não vão mexer nos próprios esquemas e privilégios, ficam buscando formas de mexer na paixão da gente sul-americana pelo jogo da bola. Dessa forma, eles geram notícia, arranjam novas maneiras de encher as burras de dinheiro e, por tabela, vão elitizando cada vez mais os estádios.

Ano passado, surgiram com a história de final em jogo único já a partir de agora, 2019, tanto da Taça Libertadores quanto da Copa Sul-Americana. Este é só o primeiro passo para, em breve, mandar a decisão para fora da América do Sul – como aliás já aconteceu “circunstancialmente” com o jogo decisivo da Libertadores de 2018.

Agora, surgiram novas normas de segurança para as competições, que serão implantadas a partir de 2021.

Pra começar, estarão proibidos bandeiras e bandeirões com mais de 1,5 m de comprimento e 1 m de largura. Ou seja, o máximo que os torcedores poderão tremular, numa partida de Libertadores, é um paninho tipo toalha de rosto – não demora surgem aqueles cachecóis temáticos por jogo, que nem na Europa, que as pessoas vão poder usar em pleno Verão do Brasil ou da Colômbia.   

Está previsto também que, daqui a dois anos, os torcedores serão obrigados a ver os jogos sentados, o que é perfeitamente condizente com a tradição de estádios como o Maracanã, a Bobonera ou o Centenário de Montevidéu. Avalanche humana na hora do gol? Poderá ser vista no Youtube.

Pelas normas, cada torcedor terá que emitir uma espécie de RG, o que abre uma ótima oportunidade pra você, caro leitor ou bela leitora, caso seja dono(a) de uma empresa que produz este tipo de documento e tenha contatos quentes junto à máfia da Conmebol para pegar essa boca.

Ah sim, outra regra surgida é que os estádios terão que ter wi-fi. A bem da verdade, talvez esta seja a única norma com alguma coerência. Afinal de contas, do jeito que as coisas se desenham, ninguém vai pro estádio pra ver o jogo. O importante mesmo é postar.  

Quero é novidade
E por falar em Conmebol, a entidade começou a vender essa semana os ingressos para a Copa América, que será disputada aqui no Brasil entre os meses de junho e julho.

Muita gente deu plantão na frente do computador pra garantir logo seu bilhete, mesmo antes do sorteio dos jogos. Mas aí, o que aconteceu?

Como já era de se esperar, o sistema deu tiuti, ninguém conseguia fazer o cadastro e em pouquíssimo tempo já havia ingressos esgotados para determinados setores ou jogos, graças a esses mistérios que só a Conmebol pode proporcionar à torcida.

Algumas partidas serão em Salvador e se você, caro leitor ou bela leitora, conseguiu já o seu bilhete, posso apenas te dar os parabéns pela perseverança.

Victor Uchôa é jornalista e escreve aos sábados

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas