Painel com número de vítimas do trânsito é instalado no Farol da Barra

salvador
25.11.2021, 18:53:00
Atualizado: 25.11.2021, 20:50:21
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Painel com número de vítimas do trânsito é instalado no Farol da Barra

Em 2020, 130 pessoas morreram em acidentes de trânsito na capital

Um painel com o número de vítimas fatais no trânsito de Salvador em 2020 foi instalado no largo do Farol da Barra, nesta quinta-feira (25), pela prefeitura da capital, por meio da Transalvador. O superintendente de trânsito da capital, Marcus Passos, afirmou que o ato foi feito com o objetivo de conscientizar e tentar sensibilizar a população sobre a sua responsabilidade no trânsito, já que, segundo ele, os acidentes acontecem por falhas humanas.

O painel deve ficar no Farol da Barra até o fim deste ano, e o tema da ação é “Há sonhos perdidos por trás dos números”. No ano passado, de acordo com a Transalvador, 130 pessoas morreram em acidentes de trânsito na capital. Já em 2021, até o mês de outubro, a cidade havia registrado 88 mortos, com 2.577 feridos no total.

De 2020 para 2021, a capital teve uma redução de 17% no número de vidas perdidas. Vale ressaltar que a Transalvador ainda não possui os números fechados de 2021, por isso, para fazer a comparação, o órgão utiliza somente os primeiros 10 meses do ano. Neste ano, a mortalidade dos vulneráveis apresenta tendência de redução, de janeiro a outubro de 2021 versus o mesmo período de 2020. As mortes de pedestres e motociclistas diminuíram de 46 para 30 e de 47 para 42, respectivamente. Em 2019, de janeiro a outubro, foram contabilizadas 105 mortes e 4.016 feridos. Em 2020, no mesmo período, Salvador registrou 106 óbitos, com um total de 2.292 feridos.

Para Marcus Passos, nenhuma morte no trânsito é aceitável, “todas poderiam ser evitadas”. Segundo ele, as causas dos acidentes são sempre por imprudência do motorista, como dirigir com excesso de velocidade, desrespeitar as leis de trânsito e o não uso do equipamento de segurança, principalmente por parte dos motociclistas. “De cada 10 acidentes ocorridos hoje, nove são com motociclistas. O número aumentou porque eles estavam mais presentes nas ruas durante a pandemia da Covid-19”, afirmou o superintendente.   

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

A ação da Transalvador acontece em parceria com a Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária, empresa que trabalha com as principais organizações mundiais de segurança viária para apoiar as cidades nas atividades de segurança no trânsito e coordenar com atores governamentais e não governamentais do país. O evento contou também com as presenças da gerente de Educação para o trânsito da Transalvador, Mirian Bastos, do representante da Bloomberg, Fernando Pinto Coelho, e de autoridades locais.

Esta é a segunda vez que a ação de conscientização sobre mortes no trânsito é realizada na capital baiana. Em 2020, uma obra artística foi instalada na Barra em alusão à data. Além de Salvador, o evento acontece também em Recife (PE), Quito e Guayaquil (Equador), Guadalajara (México), Bogotá e Cali (Colômbia), além de cidades na África e Ásia que também fazem parte da Iniciativa Bloomberg. 

Apesar dos números ainda alarmantes, a capital baiana tem reduzido significativamente o índice de sinistros de trânsito nos últimos anos.  Em maio deste ano, Salvador se destacou como uma das cidades do mundo que superaram a meta da Organização das Nações Unidades (ONU) para redução de 50% de mortes no trânsito, na década 2011/2020.

“A redução no número de mortes é fruto de um trabalho feito na gestão do prefeito ACM Neto, que fez um compromisso com a ONU para reduzir o número de mortes em 50% na nossa cidade na última década e conseguimos bater essa meta em sete anos. O prefeito Bruno Reais reassumiu esse compromisso para reduzir mais 50% o número de mortes na cidade nos próximos anos”, declarou o superintendente da Transalvador.

Com o acordo assumido pelo prefeito da capital baiana, Bruno Reis (DEM), Salvador se tornou a primeira cidade do Brasil a assinar uma carta de compromisso com a ONU, com o objetivo de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito até 2030. Para atingir a nova meta, a cidade continua investindo em ações de fiscalização, educação para o trânsito e realizando intervenções que promovem a segurança viária, a exemplo do projeto Zona 30.

Dia de Memória
O Dia Mundial em Memória às Vítimas do Trânsito (WDR na sigla em inglês) é celebrado no terceiro domingo de novembro há 25 anos. Desde 2005 a data foi adotada pela Assembleia Geral da ONU como “o reconhecimento apropriado para as vítimas de sinistros de trânsito e suas famílias”.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os sinistros de trânsito são a 8ª causa de morte para pessoas de todas as idades e a 1ª causa de morte de crianças e adultos jovens de 5 a 29 anos de idade. Todos os anos morrem 1,35 milhão de pessoas devido a lesões causadas pelo trânsito rodoviário no mundo. Isso significa uma morte a cada 23 segundos.

*Com orientação da subchefe de reportagem Monique Lôbo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas