Pandemia altera rotina de mães em comunidade de Inema

salvador
10.05.2020, 07:46:00
Atualizado: 10.05.2020, 07:47:01
(Foto: Divulgação)

Pandemia altera rotina de mães em comunidade de Inema

Com recomendação de distanciamento, contato com os filhos será apenas por telefone

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A vida da diarista Rose Barbosa, de 53 anos, mudou completamente durante a pandemia do novo coronavírus. Assim como muitas outras mulheres, o Dia das Mães dela será sem a presença dos filhos.

Moradora da ocupação Bosque Imperial, em Inema, ela mantém o isolamento social por conta da doença, e por ser hipertensa (grupo de risco), o contato com os familiares vai ficar apenas por telefone. A mudança é mais uma em uma data que já não é igual para Rose desde que ela perdeu o filho caçula, há oito anos. 

“O Dia das Mães não é o mesmo, tem sempre essa falta. A gente tem que aprender a conviver com a perda”, relata ela.

Moradora de uma das 20 casas de emergência construídas pela organização social Teto na comunidade do Bosque Imperial, Rose é o retrato da mulher brasileira. Sozinha, ela criou os três filhos após a separação do marido e, além da distância no momento de pandemia, convive com a falta de emprego durante o surto da doença.

Mas mesmo com toda a dificuldade, a mulher não tira o sorriso do rosto e manda um recado para todas as mães: 

“Nós conseguimos! Não é fácil, mas vale a pena, é gratificante. Hoje já sou avó!”, diz. Já para as mães mais jovens, ela aconselha: “Que haja muito respeito entre pais e filhos com sabedoria para ensinar o caminho certo de coisas boas”, disse.

Doações
Além da comunidade do Bosque Imperial, a Teto tem ajudado outros nove bairros em Salvador, Entre Rios, Lauro de Freitas e Dias D’Ávila. Durante o Pandemia, o grupo lançou uma campanha para arrecadar R$ 500 mil. O valor será usado para comprar e distribuir água, alimentos e itens de higiene para moradores dos locais onde a organização atua.

Até o momento, foram arrecadados mais de R$ 365 mil e, na primeira fase da campanha, moradores de 49 comunidades brasileiras receberam 2.078 kits - na Bahia, já foram distribuídas 549 cestas básicas. As doações podem ser feitas através do site: https://bit.ly/quarentenamaisjusta.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas