Paris: manifestantes e polícia entram em confronto e 205 são detidos

mundo
01.12.2018, 19:07:00
Atualizado: 01.12.2018, 19:11:03

Paris: manifestantes e polícia entram em confronto e 205 são detidos

As lojas da tradicional Galeria Lafayette e da Printemps foram evacuadas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um protesto contra o aumento no preço de combustíveis e perda do poder aquisitivo terminou com pelo menos 205 detidos pela polícia em Paris, na França, na manhã deste sábado (1º). Manifestantes e policiais entraram em confronto na famosa Avenida Champs-Elysées.

Em todo país, os protestos reuniram mais de 35 mil pessoas, segundo estimativa do primeiro-ministro, Edouard Philippe. Com coletes amarelos (gilets jaunes, em francês), cerca de 5 mil dos manifestantes foram justamente à Champs-Elysées.

As lojas da tradicional Galeria Lafayette e da Printemps foram evacuadas na capital por conta da violência do confronto. Houve incêndios em alguns pontos e quebra-quebra. Um fuzil foi roubado de uma viatura da polícia francesa, segundo as autoridades.

(Foto: AFP)
(Foto: AFP)
(Foto: AFP)
(Foto: AFP)
(Foto: AFP)

Em Buenos Aires, o presidente francês Emmanuel Macron falou sobre os protestos, depois do término da cúpula do G20. Ele afirmou que vandalismo e violência nao se justificam e que o descontentamento da população deve ser manifestado de uma maneira pacífica.

"Nada justifica que forças de segurança sejam atacadas, lojas saqueada, prédios públicos e privados incendiados, pedestres e jornalistas ameaçados ou o Arco do Triunfo sujo", disse à imprensa.

Macron afirmou que os manifestantes que usam violência querem apenas espalhar o caos e que no seu retorno vai convocar uma reunião com ministros para discutir o que o governo deve fazer.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas