PM esmurra e faz insultos racistas a jovem de black power: ‘desgraça de cabelo’; veja vídeo

bahia
03.02.2020, 22:00:00
Atualizado: 04.02.2020, 15:33:24

PM esmurra e faz insultos racistas a jovem de black power: ‘desgraça de cabelo’; veja vídeo

Caso de violência policial em Salvador será investigado pela Corregedoria

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Reprodução

Uma abordagem policial em Salvador terminou com murros e chute dados nas costas de um jovem negro, além de insultos racistas por parte de um PM. A ação foi gravada no último domingo (2) de dentro de um imóvel, no bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, sem que os policiais envolvidos na abordagem percebessem, e divulgadas nas redes sociais na tarde desta segunda-feira (3).

Nas imagens, que serão analisadas pela Corregedoria da corporação (ver mais abaixo), um policial esmurra o adolescente de 16 anos que estava sendo revistado ao lado de um homem. 

Na abordagem truculenta, o policial retira a boina do rapaz, que usa cabelo no estilo black power, e a joga no chão. Ao ouvir o rapaz dizer que é trabalhador, o PM retruca:

"Você pra mim é um ladrão. Você é vagabundo! Essa desgraça desse cabelo. Tire aí [o chapéu], vá! Essa desgraça aqui. Você é o quê? Você é trabalhador é, viado?"

Assista.

Entrevistado pelo CORREIO nesta terça-feira, o rapaz disse que deseja "cortar o cabelo agora" por conta do trauma e da possibilidade de o PM reconhecê-lo e fazer algo pior após a repercussão do caso.

Durante os ataques, o PM é chamado por um colega, que não aparece nas imagens, para deixar o local.

Rui Costa pede punição a PM que agrediu adolescente: 'caso isolado'​​​​​​​

O vídeo começou a viralizar depois que diversos perfis começaram a compartilhar a gravação. Um deles foi o ativista social Raull Santiago, criador e integrante do Coletivo Papo Reto, grupo com sede no Rio de Janeiro que atua na denúncia de violações de direitos humanos especialmente nas comunidades carentes do país.

Na postagem, Santiago condena a violência policial e o teor racista das insinuações de que o homem não trabalha.

“VIOLÊNCIA POLICIAL | “VOCÊ PRA MIM É LADRÃO, VOCÊ É VAGABUNDO... COM ESSA DESGRAÇA DESSE CABELO AQUI” disse o policial e em seguida PUXA O CABELO DO RAPAZ, QUE ESTÁ EM POSIÇÃO DE REVISTA E COMEÇA A ESPANCA-LO, repito, estando ele rendido e com a mão na cabeça. | Recebi esse vídeo a pouco, não sei de onde é essa polícia, mas na sequência da postagem, printei partes do vídeo onde podemos tentar identificar o criminoso de farda e como último vídeo, postei um recorte com repetições no momento do puxão de cabelo e das agressões diversas. | Vamos identificar o “brabão” de farda! Espalhem esse absurdo! Que revoltante. ???? RACISTAS: “você pra mim é ladrao, com essa desgraça de cabelo” disse o policial antes de puxar o cabelo do rapaz é espanca-lo. RACISTAS!”

Em nota, a assessoria da Polícia Militar informou a corporação "não preconiza com a violência e rechaça todo e qualquer tipo de conduta violenta". Além disso, confirmou que o vídeo será encaminhado para a Corregedoria-Geral da PM para ser analisado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas