PMs são denunciados por tortura em abordagem contra jovem de black power em Paripe

salvador
07.07.2020, 08:26:00
Atualizado: 07.07.2020, 08:26:19
(Reprodução)

PMs são denunciados por tortura em abordagem contra jovem de black power em Paripe

Vítima conversava em via pública com amigos, quando o grupo foi abordado “com truculência’ pelos PMs

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Três policiais militares foram denunciados pelo Ministério Público estadual por crimes de tortura cometidos contra um adolescente de 16 anos, no dia 2 de fevereiro deste ano, nas proximidades da subestação de energia elétrica no bairro de Paripe, em Salvador. 

Conforme a denúncia, a vítima conversava em via pública com amigos, quando o grupo foi abordado “com truculência’ pelos PMs. Após afirmar que não era “bandido”, o adolescente foi agredido por um dos policiais com socos, pontapés e palavras “racistas e injuriosas”, com consentimento dos outros dois PMs. As agressões foram filmadas com um telefone celular por uma pessoa integrante do movimento de luta pela igualdade racial.

Foto: Bruno Wendel/Arquivo CORREIO

Segundo a denúncia, os PMs constrangeram a vítima, valendo-se de sua autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental em razão de discriminação e como forma de aplicar castigo pessoal. As práticas criminosas e respectivas penas estão previstas na Lei 9.455/1997.

Na época, o adolescente negro de 16 anos agredido com murros e chute, além de insultos racistas, disse estava com medo de sair de casa e se sentia ameaçado. "Não me sinto mais à vontade para usar [o black power]", disse o jovem ao CORREIO.

Logo após o incidente e ainda bastante assustado, o adolescente conversou com a reportagem do CORREIO e disse temer uma reação do PM, que na ocasião ainda não havia sido identificado. "Me sinto ameaçado, se ele [o PM] vai querer me pegar por causa do vídeo, fazer maldade comigo". Ele usava o cabelo black há pelo menos um 1 ano e foi a primeira vez que foi discriminado.

"Você pra mim é um ladrão. Você é vagabundo! Essa desgraça desse cabelo. Tire aí [o chapéu], vá! Essa desgraça aqui. Você é o quê? Você é trabalhador é, viado?", disse o PM ao jovem. Na ocasião, o governador Rui Costa pediu punição a PM que agrediu adolescente: 'caso isolado'

A ação foi gravada no  di 2 de fevereiro, de dentro de um imóvel, em Paripe, no Subúrbio Ferroviário, sem que os policiais envolvidos na abordagem percebessem, e divulgadas nas redes sociais na tarde da segunda-feira seguinte (3).

Ele relembra que no dia da abordagem tinha levado uma amiga de sua namorada no ponto de ônibus. "Parei para conversar com um colega que tava de carro. Foi quando a viatura veio e fez a abordagem. Deu chute primeiro na perna do meu colega e depois veio para cima de mim. Falou que eu era vagabundo com esse cabelo aqui, ladrão".
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas