Polícia indicia Dr. Jairinho e a mãe de Henry por homicídio duplamente qualificado

brasil
03.05.2021, 18:00:57
Atualizado: 03.05.2021, 18:10:44
(Reprodução)

Polícia indicia Dr. Jairinho e a mãe de Henry por homicídio duplamente qualificado

Inquérito foi concluído nesta segunda (3) com pedido de prisão preventiva do casal  

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O relatório do inquérito que apura a morte de Henry Borel Medeiros, de 4 anos foi concluído nesta segunda (3), pelo delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª Delegacia, na Barra da Tijuca, no de Rio de Janeiro.
 
No inquérito, são indiciados a mãe do menino, Monique Medeiros da Costa e Silva, e o namorado dela, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, pelo crime de homicídio duplamente qualificado, por emprego de tortura e impossibilidade de defesa da vítima. 
 
O vereador também foi indiciado duas vezes por tortura, e a professora uma vez, por conta de outros episódios de violência praticados contra Henry — inclusive um relatado pela babá em tempo real à professora, durante a tarde de 12 de fevereiro.
 
O delegado ainda solicitou à Justiça a conversão da prisão temporária do casal para preventiva. Os dois estão presos desde o dia 8 de abril, sob acusação de tentar atrapalhar as investigações. O documento segue para o Ministério Público do Rio. Caberá ao promotor Marcos Kac oferecer eventual denúncia à juíza Elizabeth Louro Machado, titular do II Tribunal do Júri.
  
Com o fim do inquérito, Monique não será ouvida novamente na delegacia, como chegou a ser solicitado pela defesa. Os advogados Thiago Minagé, Hugo Novaes e Thaise Mattar, que assumiram o defesa de Monique duas semanas após o caso, quando a professora trocou de advogados, disseram que no novo depoimento, a mão do menino estaria disposta a “contar a verdade” sobre o que ocorreu no dia da morte do filho. No primeiro depoimento, oito dias depois da morte do filho, Monique contou ter encontrado Henry no chão, com pés e mãos gelados e olhos revirados, e disse que achava que ele havia caído da cama.

Entre as novas informações, Monique pretendia dizer que sofria uma rotina de agressões por parte de Jairinho, e que teria sido até enforcada por ele no apartamento. O casal foi preso um mês após a morte de Henry. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas