Polícia procura casal que roubou R$ 400 mil de idosas na Barra; veja vídeo

salvador
19.09.2019, 21:20:00
Atualizado: 19.09.2019, 23:01:24

Polícia procura casal que roubou R$ 400 mil de idosas na Barra; veja vídeo

Irmãs, vítimas têm 89 e 93 anos; homem e mulher entraram disfarçados em prédio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Disfarçados, homem e mulher roubaram joias e dinheiro de idosas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil divulgou, nesta quinta-feira (19), imagens que mostram como um homem e uma mulher entraram disfarçados em um prédio no bairro da Barra, em abril, e roubaram R$ 400 mil, em joias e dinheiro, de duas idosas.

As vítimas, irmãs de 89 e 93 anos, têm Alzheimer e problemas respiratórios, respectivamente. Acompanhada de uma cuidadora, a irmã mais nova estava em casa no momento da invasão e chegou a ser ameaçada.

Responsável pelas investigações, a delegada Mariana Ouais, da 14ª Delegacia (Barra), explicou à reportagem que as imagens chegaram até a polícia este mês e precisaram passar por um processo de tratamento. A linha de investigação do crime foi traçada a partir da análise dos vídeos.

"Nossa linha é de que seja uma ex-funcionária e/ou ex-funcionário, já que era recorrente a troca de cuidadores na casa delas, que são idosas muito abastadas [ricas]. Também há a possibilidade de que seja alguém ligado a algum ex-funcionário delas, ou até mesmo do prédio", considera.

As imagens mostram o momento em que os bandidos chegam e saem do edifício, na região do Morro do Gavazza. A mulher veste um jaleco branco e usa um chapéu para dificultar sua identificação. O homem, por sua vez, se aproveita de um boné preto para camuflar o rosto. 

Com as chaves do prédio, a criminosa acessa o portão do edifício, e, acompanhada do parceiro, pega o elevador. A dupla chega ao prédio com uma bolsa nas mãos. Na mesma sacola, saem com o dinheiro e as joias roubadas.

Premeditado
A aparente tranquilidade dos bandidos indica, para Mariana Ouais, que eles premeditaram a ação. Ainda não há a identificação dos criminosos, mas a Polícia Civil acredita que eles sejam assíduos na prática.

"Os dois me parecem muito tranquilos em todos os momentos em que foram flagrados. Por isso, tudo indica que tenham arquitetado a ação", diz. A delegada esclareceu que a dupla entrou no prédio por volta das 13h, exatamente entre o intervalo de tempo em que o porteiro fica ausente, em horário de almoço, o que, para a polícia, fortalece a tese de que estavam informados da rotina no local.

Já no apartamento, a vítima de 89 anos foi surpreendida pela dupla. Portadora de Alzheimer, contudo, ela não soube informar à polícia se reconheceu a mulher ou o homem. Em depoimento à polícia, a mulher que acompanhava a idosa contou que foi colocada em um dos cômodos do quarto pela criminosa, que anunciou que o comparsa estava armado.

"Elas não viram arma, mas foram ameaçadas. Ficaram no quarto, enquanto eles levaram todos os bens que encontraram, entre joias e dinheiro", acrescenta. À reportagem, a delegada disse que a outra idosa, que tem problemas respiratórios, estava internada para cuidar da respiração e, por isso, não presenciou a ação.

Fortuna em casa
O que foi levantado pela polícia, até o momento, indica que pelo menos R$ 400 mil foram levados. Joias, dinheiro e outros objetos de valor eram mantidos pelas vítimas no imóvel, dentro de um "baú". Segundo a polícia, as irmãs convivem apenas com "agregados".

"Nenhuma das duas teve filhos, portanto, não têm netos. Elas são sozinhas, mas têm a convivência de muitos agregados. Guardavam uma série de bens valiosos, além de dinheiro, nesse baú e quem entrou tinha informações, caso contrário, ia chegar sem a certeza do que encontraria", pontua ela, que não identificou a arma utilizada para intimidar as vítimas.

A delegada solicita que informações sobre os criminosos sejam direcionadas à unidade, por meio do telefone do Serviço de Investigação (SI) [71 3116-6103], ou pelo Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública [71 3235-0000 e 181 para quem estiver no interior]. O anonimato é garantido.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas