Prepara o braço: 26 mil estão aptos para tomar a 3ª dose da vacina em Salvador

salvador
17.11.2021, 05:00:00
Atualizado: 17.11.2021, 14:03:21
(Arisson Marinho/CORREIO)

Prepara o braço: 26 mil estão aptos para tomar a 3ª dose da vacina em Salvador

Reforço será para pessoas acima de 18 anos que já tomaram a segunda dose há cinco meses ou mais; prefeitura ainda vai divulgar calendário

Salvador tem quase 26 mil pessoas aptas a receberem a terceira dose da vacina anticovid, afirmou nesta terça-feira (16) a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), após o anúncio feito pelo Ministério da Saúde (MS) liberando o reforço para adultos a partir dos 18 anos e reduzindo o tempo de intervalo entre a segunda e a terceira aplicação de seis para cinco meses. Antes da permissão federal, o reforço era aplicado somente em idosos a partir dos 60 anos, pessoas imunossuprimidas e profissionais da área de saúde que haviam completado o esquema anterior de duas doses há seis meses. 

O marido da dona Anita Borges, 72 anos, seu Arthur Borges, 78, foi um dos beneficiados com a redução em um mês na aplicação da terceira dose. Ele iria tomar o reforço no dia 7 de dezembro, mas a expectativa da família agora é que a imunização completa ocorra ainda nessa semana.   

“Após tomar a primeira dose, ele teve covid e isso atrasou a data da segunda dose. Por isso que demorava tanto para chegar a data do seu reforço, mas que bom que eles adiantaram. A sensação é de que a proteção está mais perto do que nunca”, disse dona Anita, que já tomou as três doses da vacina. “É Deus na frente e agulha no braço”, completou.  

Para a infectologista Adielma Nizarala, médica da SMS, a redução do intervalo entre a segunda dose e o reforço é de grande importância. “É uma decisão válida. Houve uma pesquisa que identificou a necessidade da redução. Se o governo está disposto a ampliar o alcance da terceira dose, eu como infectologista apoio”, afirma. No entanto, hoje, a prefeitura ainda não vai aplicar a terceira injeção no público a partir dos 18 anos.

De acordo com o esquema vacinal diário previsto para hoje e divulgado na noite de ontem pela SMS, a prefeitura aplicará a primeira, segunda e terceira doses das 8h às 16h, mas seguindo o escalonamento padrão da campanha de imunização anticovid. 

A primeira dose, em sistema de repescagem para quem ainda não se imunizou, atenderá as pessoas a partir de 18 anos. Também será dada a primeira injeção em adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades ou sem e em gestantes e puérperas. A segunda dose atenderá o aprazamento a depender do tipo de vacina: Oxford e Pfizer, para quem precisa da segunda dose até 13 de dezembro; e Coronavac, para quem tem de receber a segunda injeção até 18 de dezembro. Já a dose de reforço (a terceira), ainda é válida nesta quarta (16) para os idosos acima de 60 anos, pessoas imunossuprimidas e profissionais de saúde que estejam no prazo.

Estudo
Segundo o Ministério da Saúde, a antecipação do reforço e a redução da idade para a terceira dose foi uma decisão tomada com base nos resultados preliminares de um estudo da Universidade de Oxford. A pesquisa mostra que o esquema heterólogo, aquele em que há combinação de vacinas diferentes, aumenta significativamente a imunidade. “A orientação é que o reforço seja aplicado, preferencialmente, com a vacina da Pfizer. Na falta desse imunizante, pode ser aplicada a Astrazeneca ou Janssen”, explica a pasta. 

Em Salvador, é utilizada a Pfizer como terceira dose. A reportagem perguntou à SMS qual é o estoque do imunizante na cidade, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição, às 23h de ontem. Para o ministro da Saúde Marcelo Queiroga, a medida vai impedir cenários epidemiológicos similares aos que vem acontecendo na Europa.  

"Nós vamos ter uma cobertura vacinal maior da nossa população. Eu tenho conversado com uma amiga, Dra. Socorro Gross, e ela acha que podemos ser um case de sucesso no enfrentamento a uma possível 3ª onda causada pela Covid-19", afirmou o ministro. 

Bahia e Brasil

Na Bahia, segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a população de 18 a 59 anoque vai ser beneficiada com o reforço é de mais de 9 milhões de pessoas. “A pasta irá seguir o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, mas para o início da aplicação das doses de reforço, é necessário que o Ministério da Saúde envie as doses específicas para o público", disse a pasta estadual, em nota.  

Embora seja uma novidade para a Bahia, o intervalo menor entre as doses já vigora em outros estados, como Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, por decisão das respectivas secretarias de Saúde. No Espírito Santo, a redução já é para quatro meses e, no Guarujá (SP), para dois.

Em todo o país, segundo o MS, mais de 100 milhões de brasileiros estão aptos para tomar a dose de reforço, ou seja, já completaram a imunização há cinco meses ou mais. Desse público, cerca de 11 milhões já tomaram a dose extra. A previsão da pasta é que 12,5 milhões de pessoas tomem o reforço em novembro e 2,9 milhões em dezembro. 

O MS também atualizou a recomendação quanto à vacina da Janssen, aplicada anteriormente como dose única. A partir de agora, uma segunda dose desse imunizante será aplicado com intervalo de oito semanas após a primeira injeção. Após concluir o ciclo vacinal, uma dose de reforço será aplicada respeitando o prazo de cinco meses recomendado pela pasta. 

Outra mudança no esquema vacinal foi determinada para quem tomou o imunizante da Janssen, aplicado anteriormente como dose única. A partir de agora, uma segunda dose do mesmo imunizante será necessária com intervalo de oito semanas após a primeira aplicação. Após cinco meses, essa pessoa também poderá tomar a dose de reforço, sendo preferencialmente de um fabricante diferente. Ou seja, não existe mais vacina com dose única no Brasil. Na Bahia, a Janssen começou a ser aplicada em junho.  

Cerca de 300 mil estão com 2ª ou 3ª doses atrasadas em Salvador

Apesar do interesse em ampliar a imunização da população, só em Salvador, cerca de 300 mil pessoas estão com a segunda ou terceira doses atrasadas, de acordo com a SMS. Em todo o Brasil, são mais de 21 milhões de pessoas que precisam voltar aos postos de vacinação para tomar a segunda dose. Já a Sesab não informou os dados dos atrasados na Bahia. Para Adielma Nizarala, da SMS, reduzir o número de atrasados deve ser uma prioridade.

“Não tem como tomar a terceira quem não toma a segunda. As pesquisas indicam que a proteção contra a covid-19 será feita com doses aplicadas periodicamente e para todas as faixas etárias. Me preocupa as pessoas que deixaram de completar a imunização, pois elas são as que promovem a circulação do vírus. E nós precisamos convencê-las a retornarem aos postos de saúde”, defende.  

Uma analista judiciária de 51 anos que preferiu não se identificar, ainda não tomou a segunda dose. O caso dela, no entanto, não é de negacionismo e sim de problema de saúde. “Tomei a primeira da AstraZeneca e todos os médicos disseram que não poderia tomar a segunda dose de jeito nenhum, pois tive inflamação pós-vacina. Agora tenho que ter um cuidado redobrado para não pegar o vírus”, contou.  

Para lidar com quem ainda não tomou a segunda dose mas não tem uma justificativa como a analista baiana é que o Ministério da Saúde lançou a campanha "Proteção pela metade não é proteção". No sábado (20), haverá uma mobilização nacional para reforçar a importância de se completar o ciclo vacinal, mesmo após o prazo recomendado pelos fabricantes das vacinas. Além disso, quem já está no momento de tomar a dose de reforço, não pode perder tempo. Isso porque a campanha também chama a atenção para a necessidade de reforçar a imunidade contra a doença. 

A campanha será veiculada na TV, rádio, internet e outras mídias já a partir desta quarta-feira (16).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas