Prevenção para minorar risco das chuvas e do coronavírus

artigo
16.03.2021, 05:53:00

 Prevenção para minorar risco das chuvas e do coronavírus

Pelo segundo ano consecutivo, teremos uma Operação Chuva atípica, uma vez que a pandemia do novo coronavírus persiste enquanto crise sanitária e as demandas do período chuvoso em Salvador, entre março a junho, requerem a prontidão do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC), coordenado pela Codesal. 

Apesar do início da vacinação e das tratativas feitas pelos governos e, em particular, pela Prefeitura de Salvador, liderada pelo prefeito Bruno Reis e pela vice-prefeita Ana Paula Matos, o atual quadro é de extrema gravidade: tanto o sistema de saúde pública quanto o privado vivem uma situação crítica, provocada pelas novas variantes do coronavírus, mais contagiosas e que causam sintomas mais graves.

Por conta das medidas preventivas adotadas pela gestão municipal em decorrência do avanço dos casos de covid-19, a Codesal suspendeu temporariamente o atendimento em sua sede, em razão do potencial risco de aglomeração, adotou o revezamento semanal entre os diversos setores do órgão, a medição obrigatória de temperatura e interrompeu a entrega presencial de lona, cuja colocação passou a ser feita exclusivamente pela Limpurb.

Como parte dos preparativos para a Operação Chuva 2021, realizamos um sobrevoo na capital baiana visando proceder a uma abrangente vistoria aérea de vários pontos da cidade que são áreas de risco monitoradas pela Codesal, buscando identificar e antecipar possíveis problemas.
 
Reuniões foram realizadas com parceiros do SMPDC para alinharmos nossas ações protetivas e de resposta, além de interagir com a Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre)  e Secretaria Municipal de Educação de modo a redefinir os protocolos destinados a evitar que as famílias que tenham de deixar suas casas numa situação de risco alto para deslizamento de terra e de alagamento não fiquem aglomeradas nos locais de acolhimento.


Em acréscimo, foram capacitados conselheiros comunitários e integrantes das 10 Prefeituras-Bairros, em parceria com a Secretaria Geral de Articulação Comunitária e Prefeituras-Bairro; técnicos da Sempre e das Gerências Regionais de Educação, além de profissionais da diretoria de Iluminação da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), do programa Morar Melhor e de lideranças comunitárias das Ilhas de Maré, dos Frades e de Bom Jesus dos Passos. A iniciativa buscou partilhar os propósitos da Defesa Civil, que envolvem ações preventivas e de gerenciamento de risco, de forma que atuem em melhor sintonia com a Codesal.
 
A Prefeitura de Salvador se destaca no enfrentamento aos problemas resultantes do período chuvoso e agora agravados pela pandemia. Nos últimos cinco anos, o município investiu significativamente na implementação das ações protetivas da Codesal, entre as quais a aplicação de geomantas em encostas, o que permitiu levar maior tranquilidade às famílias. 

Após a reestruturação implementada pelo então prefeito ACM Neto, as transformações positivas se refletiram na redução das ocorrências graves, o que nos permite afirmar que, mesmo com os maiores índices pluviométricos dos últimos 36 anos - registrados entre março e junho de 2020 -, temos cada vez mais controle sobre fatos adversos gerados pelas intempéries climáticas.
 
Essas conquistas se devem à adoção de protocolos com foco em ações preventivas, gerenciadas pelo Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), apto a realizar precisas análises de risco climático e emitir alertas por sistemas de sinalização sonora instalados em áreas de risco. A consolidação dos programas educativos nas comunidades, a exemplo da formação de Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdec) e dos Nupdecs Mirins, também contribuíram na redução de desastres.

Apesar dos avanços em várias frentes, não podemos baixar a guarda diante da possibilidade de ocorrências provocadas pelas chuvas que insistem em se intensificar devido às alterações climáticas. O mês de janeiro, por exemplo, foi o mais chuvoso dos últimos 17 anos em Salvador, quando foram registrados 189,2 mm de chuvas.
 
Diante de contextos incontroláveis, a Defesa Civil de Salvador, como serviço essencial do município, se mantém alerta e preparada para atender aos anseios da população com soluções preventivas e eficazes. A Prefeitura de Salvador está fazendo a parte dela. Faça você também a sua: evite aglomerações, use máscara e, em caso de emergência, ligue para a Defesa Civil pelo telefone gratuito 199.

Sosthenes Macêdo é diretor geral da Defesa Civil de Salvador
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas