Primeiras famílias do Mané Dendê recebem imóveis novos em Salvador

salvador
25.10.2021, 11:49:00
Atualizado: 25.10.2021, 15:00:59
(Divulgação)

Primeiras famílias do Mané Dendê recebem imóveis novos em Salvador

São moradores da margem do rio que será revitalizado

As primeiras 120 famílias retiradas das margens do Rio Mané Dendê, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, receberam os imóveis novos no Residencial Novo Mané Dendê, em Ilha Amarela, nesta segunda-feira (25).

O empreendimento foi contratado através do antigo programa federal Minha Casa, Minha Vida. Os beneficiários foram aprovados pela Caixa Econômica Federal, dentro da ação de reassentamento do programa Novo Mané Dendê. 

Outros empreendimentos estão sendo licitados para abrigar as 1,5 mil famílias que vão deixar o local. O prefeito Bruno Reis explicou que os moradores têm três opções: aceitar o imóvel novo, ficar com a indenização em dinheiro ou aguardar pelos novos residenciais que serão construídos. 

"Esses moradores habitavam o entorno do antigo canal Mané Dendê, que virou um esgoto, e com tratamento sanitário vai ser tratado. As pessoas moravam em condições sub humanas. Agora elas vão viver com dignidade", disse, durante a entrega dos imóveis..

Apenas uma parte dos moradores foram contemplados nessa etapa. "Algumas pessoas tiveram a opção de vir pra cá, outras estão recebendo aluguel social. As pessoas que vieram pra cá já recebem a moraria de imediato", explicou o prefeito.

A cuidadora de idosos Ana Paula dos Santos, 47 anos, vai morar no novo apartamento com o marido e a neta de 11 anos. A família vivia em uma casa às margens do rio e o imóvel estava com a estrutura comprometida.

“A gente morava no Rio Sena, em um local próximo de um esgoto e a casa tinha rachaduras. Estava há quatro anos esperando por esse apartamento, participei de todas as reuniões e já visitei o imóvel. Estou tão feliz. Antes, a gente morava em um local de difícil acesso, tinha que descer de escada. Agora, vamos morar na frente da rua, com mais segurança e conforto para minha neta. Não tenho palavras para agradecer”, disse.

Já a diarista Ananice Santos, 43, que foi escolhida para representar os moradores recebendo as chaves das mãos do prefeito, contou que vai deixar para trás a dispesa mensal com o aluguel.

“Moro há 24 anos em Itacaranha e tinha a esperança de que um dia conseguiria sair do aluguel. Esse dia chegou. É a minha casa, em um lugar com mais lazer e mais segurança para criar meu filho”, afirmou. Ela vai morar com o marido e o filho de 12 anos.

Cada apartamento possui 47 m², dois quartos, sala, banheiro e cozinha/área de serviço - alguns desses imóveis são adaptados para pessoas com deficiência. No total, o Residencial possui 260 unidades - as 140 restantes estão em análise pela Caixa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas