Príncipe Harry e Meghan vão deixar as funções da família real e se mudar

em alta
08.01.2020, 16:06:00
Atualizado: 08.01.2020, 16:40:45
(Arquivo AFP)

Príncipe Harry e Meghan vão deixar as funções da família real e se mudar

Em comunicado, eles dizem que vão trabalhar para ficar "independente financeiramente"

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O duque e a duquesa de Sussex anunciaram nesta quarta-feira (8) que vão se afastar das obrigações como membros seniores da família real e irão trabalhar para se tornar independentes financeiramente.

O comunicado oficial do príncipe Harry e de Meghan Markle diz que "depois de muitos meses de reflexão e discussões internas, nós escolhemos fazer uma transição esse ano e começar a desenhar um novo papel progressista nessa instituição". 

Apesar do afastamento, eles continuarão a "apoiar totalmente a rainha". "É com encorajamento, particularmente nos últimos anos, que nos sentimos preparados a fazer esse ajuste".

O casal vai dividir o tempo entre o Reino Unido e a América do Norte - o jornal britânico The Sun estampou na capa que Harry e Meghan vão morar no Canadá, mas o país não foi confirmado no comunicado. “Esse equilíbrio geográfico nos permitirá apreciar nosso filho com a tradição real em que ele nasceu, além de proporcionar à nossa família o espaço para se concentrar no próximo capítulo, incluindo o lançamento de nossa nova entidade beneficente", acrescentam.

Não há ainda muitas informações sobre a nova entidade beneficente. "Estamos ansiosos para compartilhar todos os detalhes desse novo capítulo no momento adequado", diz o texto.

Segundo o The Sun, a ideia de se mudar para o Canadá se concretizou mais depois das festas de fim de ano. "Eles têm muitos amigos lá. Meghan se sente confortável e em casa porque ela morou lá por sete anos antes de conhecer Harry. Eles aproveitaram muito o período de feriado em que não foram fotografados e puderam descansar em paz", disse um amigo do casal ao jornal.

Princesa pós-moderna
Americana, divorciada e feminista. Essas são apenas algumas das características da atriz e escritora Meghan Markle, 38 anos, mulher do príncipe Harry, 35. 

Assim como Kate Middleton e Diana, Meghan não ganhou oficialmente o título de princesa, pois não tem “sangue real”. Mas o casamento foi sinônimo de avanço para a monarquia inglesa. Além de ser católica e ter três anos a mais do que Harry, ela se tornou a primeira americana a entrar na família real britânica desde a socialite Wallis Simpson, que se casou com o rei Eduardo VIII, em 1937. Na época, porém, ele teve que abdicar do trono para ficar com a americana, que também era divorciada.

Racismo
Conhecida por seu papel como Rachel Zane na série Suits - produzida e exibida pela Netflix – Meghan nasceu e cresceu em Los Angeles, em um bairro conhecido como “a Beverly Hills negra” e morou muitos anos em Toronto, no Canadá. Mudou-se para Londres depois de conhecer Harry. Formou-se em Comunicação pela universidade americana de Northwestern, em Illinois, e já participou das séries Fringe e CSI. Por três anos manteve o blog de estilo de vida The Tig, dedicado a assuntos femininos e onde participava de campanhas sociais e por igualdade de gênero. Hoje também é embaixadora da ONG de ajuda humanitária World Vision Canada.

Filha do diretor de fotografia Thomas Markle e da assistente social e instrutora de ioga Doria Ragland, que tem origem afro-americana, a atriz já sofreu racismo várias vezes. Quando o namoro com Harry foi anunciado, inclusive, ela foi alvo de ataques na internet. Na ocasião, a família real emitiu um comunicado em nome de Harry criticando a imprensa pela “onda de abuso e assédio” e dizendo que ele estava preocupado com a segurança dela. 

Em um artigo publicado na revista Elle americana em dezembro de 2016, Meghan diz que se orgulha de suas origens: “Eu sou metade negra e metade branca. (...) Minha herança miscigenada, por um lado, já me colocou em uma zona cinzenta no que diz respeito à maneira como eu me identifico. Mas por outro, ter um pé em cada lado dessa cerca me fez abraçar isso. Para dizer quem eu sou e de onde vim. Para expressar meu orgulho de ser uma mulher miscigenada forte e confiante”, escreveu.

Amor à Primeira Vista
Harry e Meghan se conheceram em Londres, em julho de 2016, por meio de amigos em comum. Na época, ela já era divorciada do produtor de cinema Trevor Engelson, com quem se casou em 2011. 

O namoro foi confirmado publicamente em novembro de 2016. Mas o casal começou a namorar seis meses antes. “Sou louca por ele. Somos realmente felizes e apaixonados”, declarou em entrevista à Vanity Fair. Ela também disse “amar uma grande história de amor”. O príncipe confessou à BBC, ontem, que soube de primeira que a atriz era “a tal”. Ele contou que desenhou o anel de noivado de Meghan. A joia tem três diamantes sendo que dois pertenceram a Diana: “Ela estará conosco nessa louca jornada juntos”. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas