Problema em terminal impede a circulação de dois ferries na travessia Salvador-Itaparica

bahia
01.04.2019, 20:12:00
Atualizado: 01.04.2019, 22:59:49
Embarcações não podem transportar passageiros por problema na rampa de acesso (Marina Silva/Arquivo CORREIO)

Problema em terminal impede a circulação de dois ferries na travessia Salvador-Itaparica

Apenas três das cinco embarcações estão operando

A travessia Salvador-Itaparica está operando apenas com três das cinco embarcações administradas pela concessionária Internacional Travessias Salvador. Segundo informações da empresa, os dois ferries Ivete Sangalo e Ana Nery estão sem funcionar. 

Com problemas na rampa de acesso do terminal de Bom Despacho, as embarcações não estão conseguindo atracar no local desde a noite de sábado.

Mesmo assim, ainda de acordo com a concessionária, não houve atraso em Bom Despacho, nessa segunda-feira (1). As viagens ocorreram nos horários regulares (de hora em hora). Já as saídas de São Joaquim tiveram atraso médio de 20 minutos.

Sobre a suspensão do serviço de dois ferries, a concessionária explicou ainda que, após a realização de testes, foi constatada a necessidade de substituição de algumas peças que estão sendo providenciadas com fornecedores. Por conta da necessidade de chegada desse material, a empresa não conseguiu estimar quando será restabelecida a normalidade no serviço. 

As embarcações que estão operando são Dorival Caymmi, Maria Bethânia e Pinheiro.

Fiscalização
Procurada, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), responsável pela fiscalização do serviço, informou que está ciente do transtorno e acompanha os reparos.

“A agência conta com 16 fiscais que atuam no sistema de lanchas e no ferry-boat diariamente, de acordo com o horário de funcionamento dos sistemas. A fiscalização da Agerba atua na verificação do cumprimento de horários, limpeza e conforto nos barcos, terminais e atendimento aos usuários. A Agerba está acompanhando as providências que a empresa concessionária está tomando, exigindo relatório detalhado e breve solução da situação”, explicou por meio de nota. 

Início
A interrupção no uso das duas embarcações começou no início na noite de sábado (30). Por volta das 18h15, a rampa apresentou defeito no momento do desembarque de passageiros que viajavam no Ivete Sangalo. Segundo informações da administradora, por conta do defeito, só foi possível realizar, com segurança, o desembarque de pedestres e bicicletas.

“Apesar dos esforços da equipe de manutenção, não foi possível restabelecer o equipamento em menor tempo, tendo sido, então, decidido como opção o retorno da embarcação para Salvador, para o desembarque, também com segurança, dos 25 veículos a bordo", detalhou a empresa, em nota.

Disse ainda que, "o retorno da embarcação não foi possível, devido à intervenção de um grupo de condutores dos veículos, que se posicionou no passadiço do ferry, atrasando ainda mais a conclusão do trabalho e impedindo a saída". Por fim, o documento diz que "um guincho foi chamado por um cliente, que acabou sendo utilizado para a retirada do seu carro e dos outros veículos presentes no Ferry. O guincho será pago pela Internacional Travessias Salvador”, detalhou a empresa. 

Procurado para comentar o caso, o Ministério Público não se manifestou até a noite desta segunda-feira (1º).  

* Com supervisão da subeditora Fernanda Varela

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas