Produção de festa eletrônica diz que entrada de droga não é permitida; um morreu e outro desapareceu

bahia
08.06.2017, 09:35:00

Produção de festa eletrônica diz que entrada de droga não é permitida; um morreu e outro desapareceu

Organização da rave Aurora emitiu nota oficial com esclarecimentos sobre o evento; bebidas e drogas eram proibidas

A produção da festa rave Aurora, realizada na localidade de Vila de Abrantes, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), emitiu, nesta quinta-feira (8), nota oficial sobre realização do evento - onde um turista morreu após passar mal em uma das pistas de dança, e um jovem desapareceu. Conforme o esclarecimento, na festa, que começou na noite de sábado (3) e durou até a tarde de domingo (4), não foi permitida a entrada de drogas e bebidas.

"Funcionou dentro da normalidade, com a equipe oferecendo segurança e vagas a todos os veículos que chegaram. Havia ainda a revista corporal e de volumes, coordenada por 16 homens. Pela revista, não foi permitida a entrada de nenhum tipo de bebida, entorpecentes, armas ou objetos perfurocortantes. O controle esteve muito estrito", diz a nota, acrescentando que 3.500 pessoas participaram do evento. A publicação cita, ainda, o número do alvará de funcionamento do evento, emitido pela Prefeitura de Camaçari, sob a numeração 102/2017.  

Em sua 15ª edição, festa atraiu centenas de pessoas ao Rancho Paraíso, em Camaçari
(Foto: Erick Paz/Leitor CORREIO)

Morte e desaparecimento
A produção lamentou a morte do turista paulista Jacques Paulo Garcia, 34 anos. Segundo os organizadores da Aurora, o rapaz foi atendido na UTI móvel da festa, onde recebeu os primeiros socorros. "Doutor Henderson Oliveira e enfermeiras conseguiram estabilizar Jacques, que foi imediatamente encaminhado pela segunda ambulância, com o médico e as enfermeiras, até o Hospital Menandro de Farias, onde infelizmente veio a falecer. Oferecemos aqui mais uma vez os nossos sinceros sentimentos e pêsames aos familiares, com quem estamos mantendo contato nos últimos dias", afirma. 

Os organizadores afirmaram, ainda, que estão acompanhando as buscas por Eric Geovane de Oliveira, 22, que desapareceu após sofrer um "surto" na festa. Até a manhã desta quinta-feira (8), ele não havia sido localizado. "O jovem abandonou o carro que conduzia, na área externa do Rancho Paraíso, e adentrou a mata do terreno em frente, mesmo com os apelos e chamadas dos seus amigos. Apesar de estarmos realizando buscas a pé e a cavalo, junto com nativos, unidades da Polícia Civil e Bombeiros. Continuaremos as buscas até encontrarmos Eric", esclarece.

Eric Geovane desapareceu durante a festa rave Aurora
(Foto: Arquivo Pessoal)

Esta foi a 15ª edição da festa. "Um evento que envolve muito amor, muita dedicação e um alto grau de profissionalismo, acumulados em 11 anos de experiência. Tudo é pensado nos mínimos detalhes para proporcionar ao público uma materialização de artes visionárias e dança, num ambiente limpo, seguro e saudável para todos. O verdadeiro produto da Aurora sempre foi a MÚSICA, diversão, coletividade e contato com a natureza. Respeito ao próximo. Amor. Unidade", conclui a nota.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas