Pulga na orelha na morte do miliciano

satélite
14.02.2020, 10:40:17
Atualizado: 14.02.2020, 10:45:48

Pulga na orelha na morte do miliciano


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Peritos criminais do Departamento de Polícia Técnica da Bahia (DPT) disseram ter encontrado um indício que, segundo eles, contradiz parte da versão apresentada pela PM para a morte do miliciano Adriano da Nóbrega, durante o cerco realizado pelo Bope na zona rural de Esplanada.

Ouvidos pela Satélite sob condição de anonimato, dois experientes profissionais do DPT afirmaram que o escudo balístico supostamente atingido por dois tiros efetuados pelo miliciano não integra o arsenal utilizado em operações da unidade. “Pela imagem que a própria polícia divulgou à imprensa, é possível ver no escudo a sigla do Curso de Operações Especiais (Copes), voltado à formação quadros do Bope. Esse tipo de equipamento serve só para treinar alunos nas ações simuladas”, ressaltou um dos peritos.

 “Nas incursões reais, são usados escudos mais novos com a marca do Bope. É estranho que, contra um alvo altamente preparado, tenham levado o mesmo material de aula, já bastante gasto”, emendou outro perito do DPT.

Redução de danos
Pesquisas recentes feitas para medir o desempenho do governador Rui Costa (PT) explicam a decisão do petista de ampliar a agenda no interior. De acordo com fontes da base aliada ao Palácio de Ondina, os resultados indicaram forte queda na avaliação positiva atribuída a Rui por eleitores de áreas estratégicas do estado, sobretudo,  nas cidades mais populosas do Sul, Oeste, Sudoeste e Região Metropolitana de Salvador. As sondagens detectaram ainda crescimento substancial das intenções de voto para o prefeito ACM Neto (DEM), principal nome da oposição na disputa de 2022. Na tentativa de reverter o cenário, o núcleo político do governo sugeriu a Rui que intensificasse a presença onde vem perdendo popularidade, para inaugurar obras e anunciar recursos destinados a projetos. Ao mesmo tempo, aconselharam o governador a elevar os investimentos no interior.

Velho amigo novo
Recém-filiado ao PDT, o secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, está cada vez mais próximo do ex-ministro Ciro Gomes. Pré-candidato à Presidência, Ciro não economiza elogios a Prates, a quem chama de seu braço-direito na Bahia, e deixou claro para a cúpula da sigla que, se for eleito, quer tê-lo na linha de frente do Planalto.

Água fria
Integrantes da tropa de choque do presidente Jair Bolsonaro na Bahia demonstraram temor depois que caciques da Aliança pelo Brasil desistiram de legalizar o partido para disputar a sucessão municipal deste ano. A preocupação se deve ao futuro deles nas atuais legendas. Como tornaram público o desejo de entrar no bloco de Bolsonaro, estão certos de que serão preteridos na divisão do Fundo Eleitoral para bancar a campanha e na montagem de alianças com líderes comunitários e cabos eleitorais.

Banho-maria
Em conversas com interlocutores, o governador Rui Costa admitiu que continua indeciso sobre a escolha do futuro chefe do Ministério Público do Estado (MP). Disse que, dos nomes da lista tríplice, nenhum conquistou sua simpatia ainda.

"As velhas fórmulas e análises que serviam há algumas décadas já não são suficientes, especialmente no campo da política e da economia. Por toda a parte, cresce a necessidade de inovarmos" - Juca Ferreira, ex-ministro e pré-candidato do PT a prefeito de Salvador

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas