Qual a melhor aplicação para uma reserva de emergência?

tira-dúvidas finanças
19.07.2021, 05:00:00

Qual a melhor aplicação para uma reserva de emergência?


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Qual o melhor ativo para uma reserva de emergência? Alan Ferreira

Olá, Alan. O planejamento financeiro consiste em pensar para o curto, médio e longo prazo. Portanto, entender quais projetos de vida, desejos ou objetivos com um horizonte de tempo bem definido vai ajudar bastante na hora de montar seu IPS, ou seja, sua política de investimento. Lembre que cada produto financeiro tem prazo e rentabilidade definidos e é fundamental alinhar suas expectativas com cada produto, o que ajuda a otimizar a rentabilidade de seu patrimônio. Seguindo essa lógica, se há uma reserva de emergência, esta não deve ficar aplicada em produto de muito risco nem em ativos que tenham prazo para resgate. O ideal é que os investimentos estejam aplicados em produtos com liquidez diária,  que você possa sacar quando precisar. E esses produtos são encontrados em diversas instituições financeiras. Pode ser um Fundo de Investimento DI, um CDB com liquidez, ou um Fundo Multimercado que tenha liquidez no máximo em D+1, (o resgate fica disponível no dia seguinte). Aplicar em produtos que tenham prazo de resgate muito elástico pode fugir da estratégia da reserva de emergência e tirar a possibilidade de uso imediato do recurso, caso precise. É importante saber que investimentos com essas características costumam ter rentabilidade baixa, porque o objetivo nesse caso é de preservação do ganho real e não crescimento patrimonial. Portanto, é fundamental ter o entendimento dos objetivos e características para escolher bem seus produtos.


Qual o melhor empréstimo para tentar amortizar as dívidas em um momento como a pandemia? Anônimo

Olá, Anônimo. Na condição de tomador de crédito é importante buscar opções que sejam mais baratas e que estejam dentro das suas condições de pagamento. Não adianta buscar um crédito para amortizar dívidas, se não tiver feito o planejamento para pagamento desse empréstimo, porque aí você corre o risco de aumentar mais ainda, sua condição de endividamento. Recomendo que faça um planejamento de suas dívidas e verifique quanto você consegue dispor mensalmente para pagar esse empréstimo. A partir daí, é escolher a melhor opção dentro do seu perfil. Existem várias modalidades de crédito, mas tudo vai depender do seu nível de risco e do relacionamento com as instituições financeiras. Tem o CDC (que é clássico), os empréstimos com bem em garantia, normalmente veículo ou imóvel, com juros menores e o empréstimo consignado, que só está acessível para quem tem vínculo de trabalho formal e se a empresa tiver convênio com alguma instituição financeira. Esse último é o tipo de crédito com menor custo. Na maioria dos casos, também é o que tem menos burocracia para contratar, mas, é claro, tudo vai depender do seu perfil e do  crédito que estará disponível.


Tem dúvidas sobre Finanças Pessoais? Mande um e-mail para carteiracorreio@redebahia.com.br
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas