Quase 2 milhões de pessoas estão com segunda dose atrasada na Bahia

bahia
19.10.2021, 19:01:00
Atualizado: 19.10.2021, 19:03:08
(Bruno Concha/Secom PMS)

Quase 2 milhões de pessoas estão com segunda dose atrasada na Bahia

De acordo com dados divulgados pela Sesab nesta terça-feira (19), 1.999.880 baianos não concluíram o ciclo vacinal

Quase dois milhões de baianos que já poderiam tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19 não compareceram aos postos de saúde. De acordo com dados divulgados pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) nesta terça-feira (19), 1.999.880 pessoas não concluíram o ciclo vacinal.
 
Do total do público em atraso, 332.091 tomaram a vacina Coronavac; 539.830 Oxford/AstraZeneca; e 1.127.959 Pfizer/BioNTech.
 
A Secretária da Saúde do Estado, Tereza Paim, alerta que somente a imunização completa garante uma maior proteção contra a doença. “É importante que as pessoas busquem as unidades de saúde para se vacinarem contra a doença, incluindo também a dose de reforço. O esquema completo de vacinação dá uma maior garantia de defesa contra a Covid-19”, afirma. 

Além de não garantir a efetividade completa das vacinas, os atrasos podem acarretar a perda de doses, como alerta a coordenadora de imunização do Estado, Vânia Rebouças. Ela destaca que as doses enviadas da Pfizer precisam ser aplicadas no prazo de até 31 dias, por conta das especificidades no armazenamento. Antes da distribuição, os imunizantes são armazenados em ultracongeladores que chegam a temperaturas de até -86°C.

“Uma vez enviadas aos municípios, as doses só mantêm a validade em temperatura positiva nesse prazo de até 31 dias. Por isso, é tão importante que a população esteja atenta a esse retorno e compareça aos postos de vacinação para concluir o esquema vacinal contra a Covid-19”, declara a coordenadora.

Tereza Paim ainda comentou sobre o uso de máscara e que abolir a obrigatoriedade nessa etapa representa um grande retrocesso na luta contra o coronavírus. “Estar vacinado não quer dizer que a gente pode estar desprotegido. Apenas depois que a maior parte da população estiver vacinada com as duas doses, mais de 80% da população, é que a gente vai poder começar a pensar de que maneira e em quais locais poderemos estar sem máscara, preferencialmente em locais abertos”, explicou.
 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas