Que fogo! Mesmo com ventos de 60km/h baianos furam isolamento e vão para a orla

salvador
19.07.2020, 10:04:00
Atualizado: 19.07.2020, 12:56:37
(Fotos: Tiago Caldas/CORREIO)

Que fogo! Mesmo com ventos de 60km/h baianos furam isolamento e vão para a orla

De bicicleta ou caminhando, cada um tinha uma 'desculpa' para estar fora de casa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Se estava difícil respeitar o isolamento social, nesse final de semana os baianos ganharam um novo aliado: o frio e os ventos fortes. As temperatura em Salvador diminuíram e os ventos sopraram numa velocidade de 60km/h. Mas nem a ventania conseguiu baixar o fogo do povo para sair de casa. 

O aposentado Elzio Soledade, 70 anos, pensou que o domingo (19) ia ser de sol forte, mas foi pego pela chuva durante a prática do seu exercício diário na orla da Pituba. "Essa é a terceira vez seguida que acontece isso, só que agora foi pior, pois a chuva tava forte e não tinha um local pra me apoiar", disse. Isso fez com que a máscara de Elzio ficasse encharcada e impossibilitada de uso. Ele a carregava na mão. "Já estou indo para casa, pois o dia é de descanso mesmo", justificou-se.

Já os ciclistas Gilmario Santana e Fernando Muniz nem se assustaram com os ventos. Eles disseram já estar acostumados com essa realidade. "Ando de bicicleta há 25 anos para ir e voltar ao trabalho, faça chuva ou sol. Hoje realmente tá ventando mais, o que dificultaria o percurso, mas estou acostumado", disse Gilmario. Eles saíram da Cidade Nova em direção ao Farol da Barra, na manhã desse domingo.

Nessa quarentena, o papai Jaciel Mascarenhas leva todo domingo o seu filho Daniel Mascarenhas para passear, tomar um sol e ter um momento de lazer.  O destino dessa manhã foi o passeio do Jardim de Alá até o Farol da Barra de carro. O vento forte e o frio não foram impeditivos. "Eu coloquei uma camisa de frio nele e pronto. O Farol é um bom local, pois está sendo controlado pela prefeitura e nos dá uma segurança", disse Jaciel. Quando o sol abriu, ele desceu do carro para aproveitar o momento com o filho. "Estamos respeitando o isolamento social, mas esse domingo é o momento do lazer, de turistar mesmo", disse.

Ao longo de outros pontos da orla, também foi possível flagrar pessoas que resolveram sair de casa. Na orla do Rio Vermelho, pescadores exerciam seu trabalho. Na praia de Piatã, o ambulante Jorge Luiz vendia bebidas e petiscos. Ele fica do lado de fora da cerca que delimita até onde as pessoas podem ir na praia - e que mesmo assim não impedia muitos de a ultrapassarem. "Onde eu  estou, é permitido ficar. Quando a Guarda Civil chega, eles tiram todos da praia", disse. 

E quando isso acontece a atividade de seu Jorge é prejudicada. Antes da pandemia, ele mantinha 20 mesas na praia de Piatã e vendia cerca de 20 cocos por dia. Agora, tem dia que nenhum coco é vendido. "Ontem mesmo, que foi um dia de chuva, não vendi nada", lembrou. Ao longo da manhã de domingo, o sol começou a aparecer com mais força. Ainda na praia de Piatã, cerca de 10 pessoas praticavam "o baba". Ao lado, uma família de três adultos e uma criança brincava e se divertia. Na água, um rapaz praticava kitesurf, um esporte que utiliza uma prancha e uma pipa.

Em Itapuã, também tinham pessoas ao longo da orla, aproveitando a manhã de domingo. No ponto de ônibus, Antônio Paulo, 38 anos, aguardava o coletivo que ia levá-lo para a casa da sogra, como ele faz em todo domingo. O isolamento social e os ventos fortes não lhe fizeram mudar a rotina. "Eu trabalhei por 10 anos em São Paulo e estou acostumado com o frio. Isso aqui para mim é tranquilo. Quando chego na casa da minha sogra, faço toda a higiene para não levar o vírus para a casa dela. Passo a semana toda em casa com minha esposa, respeitando o isolamento", disse.

Salvador registrou a temperatura mais baixa de 2020 na madrugada dessa sexta-feira (17), ao chegar a 20,8ºC, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). E a Defesa Civil de Salvador (Codesal) estima que a temperatura deve permanecer baixa para os padrões baianos durante este fim de semana e que a probabilidade de chuva é alta neste domingo (19).

Nessa sexta-feira, a Marinha emitiu um comunicado alertando que a previsão é de ventos de até 60 km/h na faixa litorânea da Bahia, entre Caravelas e Salvador, até a noite de domingo (19). O sistema poderá ocasionar agitação marítima com ondas, em alto-mar, de até 3,5 metros de altura.

*com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas