Roberto entra na briga pela titularidade: 'Deixar pulga atrás da orelha de Dado'

e.c. vitória
22.02.2022, 17:08:00
Roberto em treino do Vitória (Pietro Carpi/EC Vitória)

Roberto entra na briga pela titularidade: 'Deixar pulga atrás da orelha de Dado'

Novidade em jogo-treino, atacante comentou sobre mudança em esquema tático do Vitória contra o Falcon

O ataque foi um dos pontos críticos do Vitória no ano passado. Para evitar uma nova dor de cabeça em 2022, chegaram seis reforços para o setor, além da renovação com Dinei, que, recuperado de lesão, deve retornar em breve. Mas, por enquanto, os gols ainda são poucos: quatro, em cinco jogos do Leão pelo Campeonato Baiano.

Buscando uma evolução, o técnico Dado Cavalcanti usou o jogo-treino contra o Falcon, de Sergipe, na semana passada, para testar uma novidade no time titular: o atacante Roberto, na vaga de Guilherme Queiroz. Até aqui, ele não esteve entre os 11 primeiros em duelos oficiais, mas saiu do banco em quatro partidas.

O jogador aproveitou a chance no amistoso e marcou o único gol rubro-negro no empate em 1x1. Após deixar a boa impressão, agora vive a expectativa de começar atuando pela primeira vez. A estreia entre os titulares pode acontecer neste sábado (26), quando o Vitória encara o Atlético de Alagoinhas, pela 6ª rodada do Baianão. A partida será às 16h, no Barradão.

"No início do ano, quando a gente é contratado, chega para dar nosso melhor, e o treinador opta por quem começa jogando. Eu venho buscando isso a cada dia. Nos treinos, nos jogos, quando tenho entrado. Mas essa opção é de Dado. Se ele optar por mim no jogo de sábado, com certeza, vou procurar entrar em campo e fazer o meu melhor com meus companheiros, para que a gente consiga essa vitória, que é muito importante para a gente", disse o atacante, em entrevista coletiva nesta terça-feira (22).

"Tem bastante jogadores de qualidade, Luidy, Erik, o próprio Queiroz, que eu já acompanhei. É um centroavante que sempre fez gol por onde passou. É uma briga sadia, constante, a cada dia nos treinamentos. É o que eu falo, a gente tem que estar bem, deixar aquela pulguinha atrás da orelha de Dado, para que ele possa estar nos escalando. Eu sempre busco meu espaço realmente, nos treinamentos e nos jogos. Se Dado optar por mim, com certeza vou procurar fazer o meu melhor, sempre".

No amistoso contra o Falcon, Roberto não foi a única novidade. Dado fez uma mudança no esquema tático, saindo do 4-3-3 com um jogador de referência para o 4-4-2, com uma dupla de ataque na frente. Assim, o rubro-negro teve a seguinte formação: Lucas Arcanjo; Alemão, Alisson Cassiano, Ewerton Páscoa e Vicente; João Pedro, Alan Santos, Eduardo e Jadson; Luidy e Roberto.

Roberto, que usou a camisa 9 no jogo-treino, falou sobre a concorrência pela vaga no ataque, mas deixou claro que prefere jogar pela beirada que centralizado.

"Guilherme Queiroz é um centroavante. Eu já joguei nesta posição, no Avaí, no Coritiba, mas minha preferência é jogar de lado. Tive a oportunidade, nesse amistoso, de jogar de lado. Na verdade, Dado mudou um pouco o esquema tático. Ele jogou com um meia e dois jogadores de lado. Ao meu ver, fizemos um bom treinamento, um bom jogo. Lógico que queríamos ter vencido. Mas o que Dado propôs para a gente, tentamos fazer da melhor maneira possível. E vamos continuar trabalhando. Sei que a torcida quer, o mais rápido possível, o entrosamento. Que o jogo flua. Mas é paciência. Continuar trabalhando que, daqui a pouco, as coisas vão começar a acontecer", explicou.

"Me senti bem, principalmente no primeiro tempo. Movimentações, consegui fazer umas tabelas legais. Foi o que eu falei, foi a primeira vez que Dado testou com dois atacantes de lado, para gente era uma coisa nova também. Mas, dentro do jogo, me senti muito bem e espero dar continuidade agora", completou.

Roberto também comentou sobre o baixo número de gols do Vitória na temporada. Na 4ª posição do Baianão, com oito pontos, o time tem o terceiro pior ataque, empatado com o Barcelona de Ilhéus, com quatro gols cada. São nove a menos que o Jacuipense, líder da competição. O atacante garantiu que o rubro-negro vem treinando o quesito e que, com a sequência de jogos, a evolução virá.

"A gente tem criado. Infelizmente, não temos convertido em gols. Mas pode ter certeza que a gente tem feito bastante trabalho com Dado, principalmente finalização. É o que eu falo, a sequência, a confiança. Acredito que, daqui a pouco, a gente vai conseguir engatar umas duas, três vitórias seguidas, as coisas vão começar a melhorar, a bola vai começar a entrar também, tudo vai ficar melhor para a gente", afirmou.

"Acho que está faltando a sequência, realmente. Começo de temporada é muito difícil para vários clubes. Pode acompanhar. Em todos os estaduais, você vê times de Série A, de Série B, todos sofrendo. Ontem, estava em casa e assisti o jogo do Juventude, mais uma vez empatou. Time de Série A que está sofrendo no Gauchão. Realmente, o começo de temporada é difícil. O que eu acho que está faltando para a gente é uma sequência de vitórias. Quem sabe agora, nesse próximo jogo, a gente possa engatar a segunda e assim vai seguindo crescendo e evoluindo", finalizou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas